Início > Adolf Hitler, Artigos e Especiais, Guerras, História > Hitler era mesmo o vilão?

Hitler era mesmo o vilão?


Quando falamos em maldade, quando desejamos personificar o que é vil, não há melhor imagem ou caricatura que represente o que existe de pior na humanidade como o rosto de Adolf Hitler. Ele, como não poderia deixar de ser, é a materialização de tudo que há de pior no homem. Claros motivos para isso não faltam. Mas a história como ciência, possui verdades ainda incompletas ou distorcidas, por isso, centralizar todas as atrocidades cometidas durante a Segunda Guerra

Adolf Hitler

para uma única liderança, um único povo, um único regime é polarizar os crimes de todos os envolvidos. Exatamente isso, todos comentaram crimes de guerra. Sem pormenorizar o papel do regime Nacional Socialista alemão, e as realizações criminosas de Hitler, que não deixam margem para defesa, contudo suas atrocidades não foram, nem de longe, as únicas. Os crimes de guerra, as atrocidades praticadas contra civis são máculas não apenas do Eixo, eles apenas perderam a guerra, por isso receberam toda a culpa. Podemos citar entre as atrocidades cometidas pelas nações vencedoras do conflito, os bombardeios dos Aliados sobre a Alemanha, a destruição de Nagasaki e Hiroshima, A Invasão Soviética a Berlim e os estupros sistemáticos das mulheres alemãs pelo Exército Vermelho (chamado ironicamente de Exército do Povo), os campos de concentração nos países Aliados, entre eles EUA e Brasil, tudo isso devidamente minimizado no pós-conflito. Embora que, aparentemente, pareça apenas uma pequena parcela dos feitos em comparação aos nazistas, não podemos ignorar o fato de que, no esforço de guerra, mesmo as nações democráticas promoveram a perda desnecessária de vidas, ignoraram direitos básicos a homens e mulheres. Devemos entender profundamente como a humanidade, de uma forma geral, mergulhou no limite da autodestruição.

O princípio de tudo

Conferência em Teerã - 1943

O Pacto de Versalles foi assinado em 02 de novembro de 1918, o armistício concretizava oficialmente o fim do conflito, chamado de A Grande Guerra, que ceifou onze milhões de vidas. A Alemanha, a principal nação beligerante, se rendia a França, EUA e Inglaterra. Falando especificamente sobre a imposição das condições para a rendição germânica, o tratado assinado era uma declaração de culpa e imposição de condições meramente vingativas contra o povo alemão. Perdas de territórios e pesadas multas de guerra a serem pagas as nações vencedoras, a título de indenização e espólio de guerra, mergulhava a economia da Alemanha a uma recessão profunda.  No oeste foi criado a cidade livre de Dantzig, que teria um governo autônomo, essa cidade independente ficava no meio do chamado Corredor Polonês, que cortava o território da Alemanha, e tinha como objetivo oferecer uma saída marítima para o Estado polonês. No leste, na fronteira com a França e os Países Baixos, foi criada a zona desmilitarizada do Reno.

A Alemanha sufocada e arruinada, testemunhava seu povo passar a década de vinte sob as vistas dominadoras e revoltantes. Neste clima de revolta os discursos nacionalistas caem como música para os ouvidos de um povo oprimido, que enxerga em um eloqüente ex-combatente da Grande Guerra um messias, um salvador, e com o apoio de vários setores da sociedade, lança as bases para a criação de uma partido ultra-nacionalista; nasce o Partido Nazista. Sem hesitação, podemos afirmar que a constituição social, econômica e política da Alemanha pós-Primeira Guerra é produto direto do Tratado de Versalles.

Hitler tem concorrência a altura.

Nos demais países europeus a crise econômica desencadeada em 1929, chamada de Grande Depressão, eclodiu com a

Stálin

quebra da Bolsa de Valores de New York em 24 de outubro. No entanto, a União Soviética, que adotou o comunismo desde a Revolução Bolchevista, teve condições de manter um crescimento razoável, com uma política de estatização de gêneros básicos da produção russa.

As ações de Stálin no campo econômico, social e político, por sinal, eram de uma repressão digna do czarismo derrubado pela Revolução. Para consolidar-se no poder, o líder georgiano não media esforços para eliminar qualquer opositor do regime. Dentre as suas vitimas estão Trotsky, o sucessor direto de Lênin, teve que fugir para não ser executado na Rússia, infelizmente não era tão longe (?), e foi assassinado no México. Para se entender os feitos do senhor Stálin, podemos analisar os seguintes dados:

  1. O censo de 1937 revelou que a população havia caído em oito milhões de pessoas, por causa da coletivização forçada no campo da repressão política e das execuções;
  2. Entre 1937 e 1938, foram presos cerca de um milhão e meio de “inimigos do povo”. Oficialmente foram realizadas 681.692 execuções – uma média de quase mil por dia;
  3. Por ordem de Stálin foram executados três marechais, 14 comandantes-de-exército, 08 almirantes, 60 comandantes-de-corpos-de-exército, 136 comandantes-de-divisão, 221 comandantes-de-brigada, 11 vice-comissários de defesa, 75 membros do sovite militar e mais 528 outros altos oficiais e funcionários do setor militar. Andrei Nikolaevitch Tupolev, projetista do avião que leva seu nome e do primeiro túnel aerodinâmico russo, e Sergei Korolev, que em 1933 construiu o primeiro foguete experimental soviético movido a combustível líquido, foram presos e enviadas para a Sibéria. Também foram presos quase todos os astrônomos do Observatório de Pulkovo, os estatísticos que tabularam o recenseamento de 1937, centenas de linguistas e de biólogos, que refutaram a Linguística e a biologia “oficial”, e cerca de dois mil membros da União dos Escritores.

“Os crimes de Stalin foram denunciados por Nikita Khrutchev, durante o XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética, em 1953, quando Khrutchev assumiu o cargo de secretário-geral do partido. Tempos depois, já como primeiro-ministro do país, ao participar de uma conferência com membros do Partido Comunista, pediu que lhe fizessem as perguntas por escrito. Uma das indagações, feita por um dos integrantes da platéia, pedia que ele explicasse por que não denunciara o terror de Stálin, quando o ditador ainda estava vivo. Vermelho de raiva, o então chefe do governo soviético gritou: “Quem fez está pergunta?”. Ninguém respondeu. Já calmo, ele prossegue: “Pela mesma razão que você não se apresenta agora; simplesmente por medo!”. Calcula-se que, de 1917 a 1953, ano da morte de Stalin, os expurgos, a fome, as deportações em massa, o trabalho forçado no Gulag e os fuzilamentos mataram algo em torno de 20 milhões de pessoas na antiga URSS.” – Ipojuca Pontes

Levando em consideração que Stálin assinou um pacto de não-agressão com Hitler (“Pacto Molotov-Ribbentrop”, assinado no Kremlin em agosto de 1939) e dividiu o território da Polônia antes mesmo de qualquer declaração de guerra. Pura covardia! Por falar em covardia, um dos acontecimentos que mais chocam os historiadores é o Massacre de Katyn, na Polônia ocupada pelo Exército Vermelho e pelos Nazistas. Um dos episódios mais torpes da 2ª Guerra Mundial, que eliminou praticamente toda a elite militar polonesa, foi perpetrado pelos comunistas soviéticos a partir de ordens expressas do Kremlin e assinadas pelo próprio Stálin. Depois do massacre, num relatório destinado ao chefe da NKVD, o sanguinário Bloktin assinalou que, junto a dois outros asseclas, equipou uma cabana com paredes à prova de som, em

Massacre Katyn

Ostachkov, e estabeleceu a cota de 250 fuzilamentos por noite. Sobre o assassinato em massa, o agente relata: “Usei um avental de couro e gorro de açougueiro, matando, em 28 noites, 7 mil oficiais, portando uma pistola Walther alemã para evitar identificações futuras. Os corpos foram enterrados em vários lugares, mas 4500 do campo de Kozelsk foram sepultados na floresta de Katyn”.

Bem, finalmente poderia decorrer neste artigo um livro inteiro sobre as atividades genocidas do senhor Stálin, contudo já o fizeram (historiador Simon Montefiore, em “Stalin – a Corte do Czar Vermelho”). Os acontecimentos históricos arrematam-nos para uma reflexão sobre todos os criminosos de guerra de 1939 a 1945, não apenas os derrotados, mas também os vencedores, Os Aliados também deveriam figurar no banco de réus em Nuremberg.

Respondendo a pergunta do título: SIM, ele era, contudo não era o único.

Anúncios
  1. Plínio
    15/08/2010 às 9:50 PM

    Perfeito!!

  2. 17/08/2010 às 12:26 AM

    Um Podcast muito interessante, e acima de tudo divertido:

    http://jovemnerd.ig.com.br/nerdcast/nerdcast-202-montanhas-roletas-e-revolucoes-russas/

  3. Lucas Webster
    24/02/2011 às 3:09 PM

    Muito bom, parabéns !

  4. 26/02/2011 às 9:31 PM

    Caríssimo, sds. Descobri o blog hj. Sobre os temas de q entendo um pouco mais, só posso dizer q qto mais material de pesquisa contarmos na Rede, tanto melhor. Gostaria, entretanto, de tecer as seguintes ressalvas a este post em particular. O revisionismo sobre o nazismo tem sido constante, ao longo dos últimos 30 anos. É uma questão política: ensaiou idas e vindas ao longo os anos 60 e 70 e fincou pé qdo Reagan visitou cemitérios de soldados da SS e declarou q “tamb foram vítimas do nazismo”, e um gpo de intelectuais franceses tentou relativizar a memória da ocupação alemã e do Holocausto. Tivemos algumas versões disso, aqui no Brasil. Por favor, não se misture, por engano a tal equívoco. Não acho que valha a pena polemizar sobre o assunto. O nazismo era uma praga, e Hitler, um cancro a ser eliminado. Existem, é claro explicações de todos os tipos para o eclosão da guerra: todas tem certa lógica, visto terem sido elaboradas por cientistas especializados em história e política. O equívoco de Versalhes, e crise do geral do capitalismo, a pusilanimidade do Ocidente em enfrentar o expansionismo alemão (com o qual o povo alemão colaborou alegremente, ajudando a esmagar a frágil democracia de Weimer) e por aí vai. Não importa: o nazismo foi a mais absoluta e radical negação dos valores humanistas desenvolvidos ao longo de 1000 anos, no que chamamos “Ocidente”. Vc cita, como antitese, a ditadura stalinista. Concordo, não há como discordar. Mas o fato é que numa ditadura comunista, por pior q seja, se vc adere ao Partido, e se mantivesse dentro de certas regras, era deixado em paz. Isso fica muito claro com relação a judeus e membros de outras nacionalidades, como ucranianos e bielorussos – a maioria juntou-se ao regime soviético, tanto é que os governos das repúblicas ex-soviéticas, hj em dia, são compostos por qdros do antigo regime comunista; a URSS, mesmo no tempo de Stalin, chegou a um equilibrio com o Ocidente. Caiu por suas contradições internas. Na Alemanha nazista, não adiantava “aderir” – o destino de dissidentes, minorias e outras nacionalidades, era ou se tornarem socios minoritários do “Povo de Senhores” ou escravos esses; se fossem judeus, ciganos ou eslavos, teriam de morrer. Ponto. Não vou discutir o regime soviético, mas ele caiu por seus prórpios defeitos. A Europa Oriental, ou “Cortina de Ferro”, foi produzida por uma série de acordos políticos – não por imposição de força dos soviéticos. O caso da Polonia, a mesma coisa: os aliados ocidentais entregaram o pais em troca da linha balcânica. É discussão para cientistas políticos, especilistas militares e historiadores. O que posso garantir é q os nazistas não teriam hesitado em destruir um mundo que não pudessem conquistar, em matar quem lhes parecesse “inútil”. O regime nazista pode parecer sedutor, ainda hj, pela apoteose da ordem social q parecia ser. Não era. Era um regime opressivo, no qual qq dissidência estava destinada à morte. Mesmo na URSS, era proibido, mas as autoridades permitiam q jovens usassem jeans e ouvissem Beatles – esse não era problema q merecesse criar caso, como certa vez disse Alexei Kossygin, membro da Troika pós-Krutschev. O Museu Hermitage tinha enormes coleções de arte abstracionista, cubista, e tal, embora o estilo oficial fosse o horrível “realismo socialista”; as artes gráficas eram incentivadas, e produziram um cartazismo de primeira. Na Alemanha nazista, ou o artista se adaptava rigidamente aos ditames do regime ou morria. Temos péssimos regimes políticos até hj, mas todos respeitam limites mínimos. Os nazistas ,não. Não tinham limite algum. A única ferramenta de debate eram a violência e o terror, o objetivo político, matar os adversários. Não vale a pena buscar argumentos para tentar dfender uma coisa dessas. Argumentar contra o comunismo, talvez, embora algumas pessoas digam – e eu concorde, parcialmente – que comunismo stalinista é uma coisa, o regime pós-stalin, outra. Argumentar em favor dos nazistas… Desculpe a franqueza, mas é idiotice. Grandes saudações – continue o bom trabalho.

    • 27/02/2011 às 10:36 AM

      Entendi sua posição e é perfeitamente satisfatória, não vou colocar ressalvas, apenas ratifico uma posição, de que o regime Stalinista foi, apesar das particulares, nefasto politicamente e socialmente, e mutilou a URSS. Portanto, guardando as comparações e proporções, os dois regimes foram uma mácula que deixou a humanidade mais pobre.

      Obrigado pelo excente comentário. Fico feliz em saber que BLOG atrai mentes pensantes que podem questionar posições tão importantes para a humanidade.

      Abraços!

    • Ismar
      14/07/2011 às 12:25 PM

      De fato, não há como “guardar as respectivas proporções” quando se compara algo ao regime nazista. Uma indústria organizada e sistemática de destruir e desprezar o que fosse diferente ou incômodo, o assassinato em massa banalizado e justificado pelo ímpeto imperialista de poucos, a negação absoluta da contradição como parte da evolução humana.

      O revisionismo histórico sobre o nazismo não pode ser confundido com vontade científica de historiar. É um movimento de mentes doentias que tenta generalizar particularidades e fecha os olhos aos documentos históricos, que aliás são fartos pela própria obsessão burocrática alemã. 90% de mentiras misturadas a 10% de meias-verdades não permitem concluir nada que preste.

      Precisamos ser cuidadosos. Não cair no conto do relativismo cultural.

      A democracia é superior. Ponto.

      • 14/07/2011 às 1:08 PM

        Ismar,

        Agradeço a sua colaboração e o brilhantismo como comentou e enriqueceu a tópico.

    • Tiago
      08/11/2012 às 10:24 AM

      Otimo comentario.Porem não sou nehum especialista em historia mas percebi que para não defender mas talvez para explicar melhor o comunismo o amigo comparou usando fatores do pós guerra.
      Acho que se utilizarmos a comparação do mesmo periodo coseguimos chegar em um quase empate no nivel de brutalidade e arrogancia dos dois lados.lembrando que durante a opreção Barba Rosa os alemaes nazista foram recebidos com flores e como salvadores em muitas cidades russas.
      Não tenho certeza mas que me lembro os dois exercitos mais multiculturaes e racias durante a segunda guerra éra o britanico e o nazista.

  5. Loreta
    18/06/2011 às 4:10 PM

    A História (a que nos contam) não faz grandes esforços em esclarecer os verdadeiros fatos…tanto faz se confunde e cria discórdia entre estudiosos ou leigos. Esta é a Verdade. Eu desafio algum historiador a desmentí-lo…

  6. frederico elias smith
    09/08/2011 às 4:11 PM

    eu só gostaria de saber se o francisco miranda esteve lá na europa para ver como foi a 2a guerra ou mesmo se estava aqui no Brasil vivenciando aqueles anos terriveis, ou isso que ele escreveu é fruto de estudos academicos. favor me responder por email.

    • frederico
      09/08/2011 às 4:12 PM

      frederico elias smith :eu só gostaria de saber se o francisco miranda esteve lá na europa para ver como foi a 2a guerra ou mesmo se estava aqui no Brasil vivenciando aqueles anos terriveis, ou isso que ele escreveu é fruto de estudos academicos. favor me responder por email.

  7. 12/08/2011 às 9:52 PM

    Francisco: Só posso te dizer que toda parte sobre Stálin contém mentiras contadas por anticomunistas furibundos como Montefiori e Ipojuca. Esse último participou do governo Collor e acabou com a Embrafilme.

    Se vc estudar atentamente, verá que Stálin é que era fiel a Lênin. Trotsky divergia de Lênin e entrou no partido só em julho de 1917. Kruspkaia, mulher de Lenin, afirmou que isso e outras coisas em artigos, inclusive que Trotsky colaborou com os alemães e japoneses. Por isso ele o mataram. Houve repressão, mas não de milhões e sim milhares. Stálin e Beria, inclusive, esforçaram-se para que não ocorressem excessos, mas mesmo assim eles aconteceram. A coletivização ocorreu para evitar novamente a forme, que ocorreu por causas naturais e ela efetivamente a resolveu. E Kruschev era do comitê central nos anos 30 e também ordenou muitas prisões. Ele mentiu no relatório Kruschev. Ele não disse antes as mentiras sobre Stálin porque ele bajulava Stálin constantemente, criando um culto da personalidade que Stálin repudiava.

    Enfim, se quise rmando os artigos. Essa história precisa ser reescrita. Hitler não era o vilão, é um capitalista sem máscara.

    Abs do Lúcio Jr!

    • 12/08/2011 às 10:07 PM

      Lúcio.

      Obrigado pelo comentário, contudo há outros autores e estudos (também posso informar a lista de fontes), que apontam para Lenin ter comentido sim genocidio contra seu povo e na guerra, não defendo o comunismo ou o anti-comunismo, defendo os fatos históricos, e esses me apontam claramente (repito, em várias fontes independentes) a crimes realizado por Stálin. O Massacre de Katyn é um exemplo com bases históricas, documentais, materias e relatos orais admitidos inclusive pela antiga URSS, com ordens assinadas de próprio punho pelo ditador.

      Abraços e fique à vontade para enviar qualquer material.

      • 06/09/2011 às 8:27 AM

        Procure pelo professor Mark Tauget, de West Virginia. Não existe nenhuma evidência do Holodomor. E Tauget NÃO É comunista.

        Abs!

  8. 13/08/2011 às 10:03 AM

    Oi, Francisco. Lênin também? Por que o que vc sabe sobre Stálin é quase tudo mentira.
    Se vc olhar no site acima, verá que a tal carta onde era ordenada a execução dos poloneses foi forjada. Isso foi denunciado agora em 2010 pelo deputado Viktor Illyukin e o noticiário sobre Katyn esfriou. Illyukin teve acesso a um dos agentes que forjou documentos.

  9. Moriarty
    30/08/2011 às 3:09 PM

    Aqueles que tomando posições defensivas agridem, assemelham-se a fanáticos religiosos que afirmam, todos sabem que minha religião é a única e que meu Deus é o verdadeiro, todos que buscam uma verdade alternativa são mentirosos que com certeza arderão no inferno.
    – A “verdade” de que dispomos não passa do ponto de vista dos vencedores, e sua disseminação conta com a ajuda de cabeças bisonhas, acomodadas com a “verdade” que lhes foi incutida nas mentes vagarosas, incapazes de duvidar, sentem prazer em acreditar em qualquer coisa construída com aparência de “verdade”, a simples noção de “pensamento crítico lhes causa mal estar”, e sentem-se seguros com a ideia sugerida de “história oficial” (Só se for historia oficial daqueles que a construíram),eu de minha parte gosto de pensar em mim como cabeça pensante e não como ovelha parte de um rebanho que espera as ordens do pastor para sair do lugar e ir aonde quer que me levem,não se intimide caro Francisco com aqueles que lhe afirmam argumentos do tipo “todo mundo sabe” “as muitas provas a disposição” e “aquele que afirma o contrário do que acredito não tem caráter por afirmar”, continue sua apologia e tolerância a liberdade de expressão e ao pensamento crítico, todos tem direito de expressar o que pensa (Uma frase diz que até a causa do lobo merece ser defendida).

    -Tenho certeza que os nossos pracinhas e todos aqueles que morreram e sofreram pela crença nas liberdades, não aprovariam a tentativa de que as vozes que se pronunciam nesse espaço, fossem intimidadas, desrespeitadas e levadas a ser calar por alguns que se julgam donos da única verdade da qual acham que vale a pena falar.

    Agradeço Francisco pelo espaço Democrático, que muitos outros se abram e que possamos duvidar, pois nada mas Democrático que isso

  10. 02/09/2011 às 10:55 AM

    Concordo também que a verdade que dispomos é a contada pelos vencedores.

    Mas favorável ao criador do tópico, de acordo com meu ”achismo”, Stalin foi mais sujo que pau de galinheiro.

  11. Claudio
    17/09/2011 às 10:57 AM

    Qual a diferença de ser morto ou torturado por um nazista ou um comunista? Qual a diferença entre um Oficial SS torturador e um Oficial da NKVD torturador? Nenhuma os campos de concentração eram iguais nos dois lados, não adianta querer dizer que o nazismo foi pior que o comunismo ambos regimes eram podres, se forem colocar numa balança o peso das mortes de Hitler e Stalin, vai pender mais para Stalin, lembrem-se do holocausto Ucraniano nos anos 30, existem controversias se realmente aconteceu o Holomodor, mas como a natureza humuna é cinica eu não duvido que tenha acontecido, e se aconteceu comparado-se aos 6 milhões de judeus não é nada.
    Enfim nada justifica as barbaries de qualquer regime totalitario, pra mim tudo é farinha do mesmo saco. O regimes totalitarios são os mesmo, só se troca o uniforme.
    A mídia bate tanto em cima dos crimes nazista que acaba esquecendo dos crimes comunistas. E hoje temos Israel que fala em holocausto para que o mundo se sinta penalizado com os judeus, mas eles estão provocando dor e tragedia nos Palestinos.
    A grande diferença é que se o massacre de Katyn fosse cometido pelos nazista o assunto tomaria proporções gigantesca na mídia sensacionalista, mas depois que se descobriu que foi os comunistas não houve tanta repercursão. Não estou defendendo nenhum lado, eu só acho que tem que ser mostrado todo o tipo de atrocidades de qualquer regime com a mesma dosagem.
    A verdade dos fatos é ditada pelos vencedores, de acordo com seus interesses, sempre foi assim ao longo da história, crimes foram cometidos pelos dois lados, mas quem venceu ficou com a palavra final.
    Resumindo o que o autor disse, todos deveriam sentar no banco do réus em Nuremberg, pois nenhuma nação no mundo é perfeita, hoje são os americanos que são considerados imperialistas, amanha poderá ser a China e mais a frente quem sabe o Brasil, pois um país que quer se destacar no mundo e se tornar lider precisa se impor, tanto pela diplomacia como pela força ou vocês acham que se o Brasil começar a de destacar de mais o olho não vai crescer pelas nossas riquezas?

  12. Cesar
    03/10/2011 às 9:29 PM

    Tudo o que sabemos até hoje sobre SGM pode ser uma farsa. Intrigas intrenacionais dos verdadeiros donos do mundo, os judeus, que até hoje vivem de indenizações milionarias da Alemanha, o verdadeiro pais que sofreu o holocausto. Recomendo a leitura dos seguintes livros:
    – Holocausto Judeu ou alemão – Nos bastidores da Mentira do Século
    – Richard Harwood – Seis Milhões Realmente Morreram?
    – Os conquistadores do mundo – Os verdadeiros criminosos de guerra
    – E a Guerra Continua…

    No minimo, inquietante.. Leiam e tirem suas conclusoes com outras versões, não somente a dos vencedores e judeus…

    • 04/10/2011 às 10:19 AM

      Cesar

      Tenho por doutrina permitir que todas as pessoas que acompanham o BLOG possam expressar sua opinião, contudo sugiro que repense nas indicações dos livros que são por natureza tendenciosos e preconceituosos, pois ratifico que os autores citados também observam uma visão parcial do Holocausto e não podem ser parâmetro para um visão global da SGM. Reitero a todos que o Acompanham o BLOG que a comentário é um opinião do autor e sobre elas pesam todas as responsabilidades.

    • Hugo
      23/01/2014 às 8:31 PM

      até que enfim achei alguém com quem comungo a opinião. Você está certo, você estudou e encontrou a verdade. O mito do holocausto foi criado para esconder que foram os judeus que financiaram a maquina de guerra de ambos os lados, que eram proprietário das fabricas de armamento, e que lucraram com isso. Um estudo recente mostrou que na época de 1945 foram gastos aproximadamente meio milhão de dólares em propaganda para criar uma opinião publica focada em uma mentira. Existe o povo hebreu, e o judeu sionista, polaridades opostas, o povo hebreu segue os ensinamentos da Torah, e ainda espera pela vinda do Messias para conduzir o povo hebreu para Israel. (note que não está escrito na Torah onde fica geograficamente Israel) O povo hebreu é um povo de paz, vive bem com a comunidade, é respeitoso. A Palestina foi tomada a força, dos seus legítimos habitantes pelo grupo Sionista, criou-se o chamado estado de Israel, um pais pequeno, geograficamente menor que São Paulo, com uma população de menos de 18 milhões de habitantes, atualmente enfrentando a crise da imigração dos africanos e um sério problema racial, mas que possui uma admirável maquina de guerra, contando com mais de 100 ogivas nucleares e não assinou pelo que sei até hoje nenhum acordo nuclear.
      O massacre da população civil alemã, pelos ingleses durante a segunda guerra, isso ninguém fala, as exigências de compensação de guerra paga pelos alemães também são omitidas, fato recente se discutiu no parlamento alemão “chega… já pagamos demais”, mas o holocausto de judeus é explorado, mas não foram seis milhões de judeus que morreram na segunda guerra mundial, foram 70 milhões de pessoas envolvidas direta e indiretamente no conflito, inclusive brasileiros.
      quando puder de uma olhada no link http://www.jewsnotzionists.org/opposed.html
      você verá que o verdadeiro povo Hebreu tem uma opinião muito diferente da do judeu sionista. É importante sabermos separar os dois, para não sermos injustos. Gostei da sua opinião, abç

  13. Ismar
    04/10/2011 às 9:27 AM

    Solicito ao moderador que apague o comentário de Cesar uma vez que já houve condenação no Supremo Tribunal Federal do autor desses livros e eles foram considerados incitação ao ódio racial e, portanto, proibidos. Ao divulgá-los, o autor incorre em crime. É melhor mantermos o debate em um nível mínimo de qualidade que não seja objeto de ação policial.

    • 04/10/2011 às 10:23 AM

      Entendo sua posição, contudo não posso serviar o direito de expressão, contudo o comentário é de inteira responsabilidade do autor e sobre ele pesam qualquer declaração.

      • Pietro Minucci
        27/10/2011 às 3:22 AM

        Apoio a posição de F.Miranda.Cada comentarista é responsável pelas suas declarações.Aqui no pequeno municipio onde moro o dono do provedor não abre espaço ,no seu site,para o debate publico das notícias postadas,alegando que o debate descamba muitas vezes até para o xingamento pessoal.Entendo que ofensas pessoais são deploráveis e dão a medida do QI dos seus autores.Todavia,a censura prévia praticada pelo “dono” do espaço é absolutamente odiosa e retrógrada.

  14. Cesar
    04/10/2011 às 6:17 PM

    Caros amigos,

    Não sou racista, nem participo de nenhum movimento anti-semita, pelo contrario. Somente fiz um comentario que pode haver outra versão da história. Não sabia das condenações dos livros, e tiro a minha recomendação dos mesmos. Quero dizer que a vida toda fui aficcionado por SGM, favorável a versão do holocausto, e com um grande desprezo pelos alemães. Me surpreendeu a leitura dos citados livros, e num impulso, tecei o comentario acima, pois me senti como se estivessem mentido para mim este tempo todo. Concordo que os mesmos contem um teor extremamente radical, não sendo recomendados como parametro Em momento algum quis criar uma situação desconfortável no seu blog, que acompanho e acho extremamente interessante. Peço a você que desconsidere meu comentario acima, e apartir de hoje acompanharei seu blog sem mais me manifestar. Abraço

    • 04/10/2011 às 7:00 PM

      Cesar,

      Não é meu objetivo, de alguma forma, inibir a participação de qualquer pessoa que acompanha o blog, muito pelo contrário, a participação das pessoas é importante. Com relação a seu comentário, apenas acho que você deveria citar exatamente o que citou acima, que é uma parcialidade e uma de cunho tendencioso. Como historiador sou a favor do revisionismo responsável, acredito que a Alemanha foi injustiçada no Pós-Guerra e tomou a culpa pelos atos do Regime, esse sim é uma mácula para a Humanidade. Não se preocupe, ninguém está censurando vc, mas acredito que o comentário poderia ser melhor colocado. No fina espero que você não deixe de colocar seus comentário…Abraços

      • O povo se esquece que a moeda tem dois lados
        16/02/2012 às 10:53 PM

        TENDENCIOSOS A QUE??? FRANCISCO..
        ME DIGA O QUE OS AUTORES DESTES LIVROS TERIAM A GANHAR COM A PRODUÇÃO DOS MESMOS??

        Você quer que fiquemos discutindo apenas livrinhos de escola? Hunm?

        Quarde minhas palavras!! Daqui a 20 anos, a visão que vocês possuem da guerra, do mundo e de Adolf Hitler vai mudar radicalmente!
        O foco destas discursões sobre a segunda guerra vai mudar totalmente também.

        Toda a verdade passa por três fases.Primeiro, é ridicularizada.Depois, violentamente negada.Por fim, aceita como evidência.[Arthur Schopenhauer]

  15. maria bartolomeu
    04/10/2011 às 7:34 PM

    Francisco MIranda, com todo o respeito, não podemos misturar alhos com bugalhos. Me aponte um campo de prisioneiros soviético no qual houvesse baterias de câmaras de gás e de fornos crematórios funcionando dia e noite, à base der 500 pessoas cada bateria a cada meia hora como em Auschwitz. Recomendo ler a extensa bibliografia de testemunhos de pessoas que estiveram lá. Os russos não matavam sistematicamente crianças, ou não praticavam sistematicamente a eutanásia. Os alemães não mataram apenas judeus. Só de ciganos, mataram mais de um milhão de pessoas. Me aponte algo quem, nas bforças armadas soviéticas, que possa se comparar com os Einzatsgruppen. Há fotos de mulheres sendo mortas nuas com tiros na nuca segurando seus bebês de colo, há valas cheias de corpos. Não me venha comparar Katyn – de onde não se provou nada – onde só foram enterrados soldados, com a morte de milhares de crianças pelos nazistas, de fome, nos ghettos, como em Varsóvia ne Lodz, e até para tirar sangue para transfusão pelo exército alemão. Me diga em que campó russo fizeram poltronas e abat-jours (luminárias com pele humana) em que campo russo foram feitas experiências médicas como as de Mengele. Milhõe de judeus poloneses só sobreviveram porque se refugiaram na União Soviética durante a Guerra. Se não fosse os russos eles teriam virado sabão. Veja o que Hitler falou sobre o Brasil diversas vezes e veja o que ele ia fazer aqui se tivesse ganho a guerra. Nenhum governo russo nos chamou oficialmente de macacos, nenhum governo russo programou, como país miscigenado, nossa esterilização. Se não fossem os russos, que arrebentaram com os alemães em Stalingrado, e mataram o leão dentro da cova, em Berlim, a civilização teria acabado e nós não estaríamos aqui, discutindo história. Nossos pais já teriam, virado fumaça, há muito tempo, nos campos de extermínio que iriam ser construídos pelos alemães no Brasil. Hitler não foi um vilãoi ele é a coisa mais abjeta que já foi concebida por um ser humano. E os alemães adoravfam sim, o que faziam. Se duvidar disso, leia um livro chamado The Willings Killers of Hitler, ou os assassinos voluntários de Hitler, e, veja, em documentos, como os alemães adoravam fazer o que faziam com mulheres, crianças e idosos indefesos. Quanto ao que os russos fizeram na Alemanha, nada contra. Quem planta vento, colhe tempestade. Os russos perderam 30 milhões de habitantes. E não foram atacados só pelkos alemães, mas por uma coalização de países que inbcluía, entre outros regimes fascistas, a Hungria e a Romênia. Até fascistas italianos e espanhóis lutaram na Rússia. E foi a Rússia que venceu a Guerra. Na mão. Não foi como os ameriucanos contra o Jaão, com bomba atômica não.

    • 04/10/2011 às 9:23 PM

      Sra. Maria Betânia.

      Geralmente não debato abertamente com meus posts. Pois creio que cada um deve pensar o que lhe convier, mas pela ênfase do seu comentário resolve lhe responder, já de ante mão com toda a polidez que cabe a humilde historiador.

      Primeiramente não podemos comparar dois regimes que, inicialmente parecem antagônicos, foram uma mácula para a História. Sim! Segundo informações embasadas em dados bibliográficas e não partidários ou filosóficos, pois a História EXIGE isso!

      Especificamente sobre Stálin, sem que existem pessoas que defendem o Regime Stalinista (diferente do Comunismo!). Bem, não creio que as informações que você passou possam ter alguma valia histórica. O regime impregnado por Stálin foi ditatorial, portanto o superficialmente igual ao Nacional Socialista de Hitler, mas as aparecem acabam por aí, como disse anteriormente são regimes contrários. Então é nesse momento que começa alguns problemas, tais como:
      – Stálin não empregou a morte industrial promovida pelo Estado, como Hitler, mas DEPORTOU, MANTEVE CENTROS DE DETENÇÕES (OU CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO) e matou opositores, muitos! Para dizer Milhões no período que esteve no Poder! Isso não uma especulação é FATO HISTÓRICO.

      – Concordo com você que Katye ainda não foi totalmente descoberto, mas sabe-se com certeza que a grande maioria das mortes, principalmente dos Oficiais poleneses foram obras de Stálin

      – O regime de Stálin assinou um pacto de não agressão com a Alemanha Nazista, dividindo áreas de influências, e no final das contas, “se” (apesar de não ser uma boa prática a cogitação) a Alemanha não tivesse invadido a URSS, a política genocida de Hitler teria a aceitação e conivência Vermelha.

      – Para você ter uma ideia estude um pouco os gráficos demográficos populacionais da URSS e as condições sociais das repúblicas satélites da URSS no período compreendido entre o final dos anos 20 até o 1939 início da guerra.

      – A Wermarcht quando entrou na URSS foram recebidos como libertadores, tendo em vista as condições sociais dessas repúblicas.

      Enfim, respeito a vossa opinião, contudo acredito importante que possamos vislumbrar outras perspectivas históricas com responsabilidade na revisionismo histórico.

    • 04/10/2011 às 9:30 PM

      É importante dizer que não defendo o Nazismo, nem tão pouco o regime de Stálin. Defendo o Fato histórico! O regime de Hitler Executou e matou Milhões de pessoas, FATO. O regimes de Stálin foi um regime humanista? O regime de Stálin fez deportação em massa? Mante prisioneiros? Matou prisioneiros? Se um regimes executa 10 Milhões de Judeus é mais culpado do que outro que executa 5 Milhões?

    • O povo se esquece que a moeda tem dois lados
      16/02/2012 às 11:15 PM

      Cara é por isso tenho raiva desses neo comunistas exatamente por esse fanatismo ezquisofrênico!!

      Pra menosprezar todas as ordens de execução genocistas praticadas por Stalin, os estrupos massivos praticados pelos militares vermelhos a mulheres alemãs, entre outros absurdos, realmente tem que ter um sentimento de paixão suícida, o mesmo que uma mulher jurada de morte pelo marido agressor tem, ao se entregar a mercê do mal.

      Tentar entender por que há pessoas que defendem esse tipo de ideologia, é também motivo para também ser internado.

    • Tiago
      08/11/2012 às 10:51 AM

      Exercito vermelho maior estuprador da historia e voce não tem nada contra isso ABSURDO!!!

  16. Francisco Bendl
    04/10/2011 às 9:38 PM

    O Cláudio disse uma verdade quando perguntou sobre “qual seria a diferença de ser morto ou torturado por um nazista ou comuista?”
    Nenhuma, lógico.
    Ambos os regimes foram de terror, contrários à democracia e fulcro no medo, na discórdia, na intriga, na política rasteira, que eram os métodos para se manter no poder.
    Nada muito diferente do que vem acontecendo atualmente no mundo.
    Por outro lado, se o César emitiu o seu parecer sobre esta questão sem maiores cuidados e o Ismar prontamente advertiu até mesmo com ação policial – outro exagero -, o Frederico se saiu com a pérola dos comentários, ao questionar o Chico se ele teria estado presente na Segunda Guerra, na Europa, ou se estava no Brasil ou se o que ele escreve é fruto de seus estudos acadêmicos!
    Uma pena tanta brincadeira para um tema tão sério!
    A verdade é que a verdade é a primeira vítima da guerra; as outras são as mães!
    Se o nazismo matava seus inimigos e quem não se adptasse a ele, que não me venha dourar a pílula o Lúcio Jr, ao querer defender o Stálin, um genocida em escala infinitamente superior ao Hitler.
    Que não se importou em aniquilar seus próprios patriotas para instalar a ditadura do proletariado, uma verdadeira farsa, como de resto são mentiras deslavadas o socialismo e o comunismo.
    Se teoricamente se apresentam como solução para os povos melhor viverem, esquecem-se da natureza humana, seus desvios de comportamento, suas vaidades, veleidades, preconceitos, ódios e diferenças!
    Se as religiões fomentaram inúmeras revoltas em nome de Deus, quanto mais os movimentos que apenas se apegavam no que escrevera um autor sem maiores compromissos que não fosse consigo mesmo e sua consciência, menos aos anseios do povo, suas necessidades e aspirações.
    Enquanto o alemão lutava contra o mundo para impor as suas idéias, o comunista matava seus compatriotas, seu próprio povo!
    E que não tenham sido os vinte milhões propalados de assassinatos cometidos pelo Stálin, que tenham sido meia dúzia, pois esta quantidade de pessoas já bastaria para derrubar qualquer conceito em defesa de um regime pusilânime, autoritário, nefasto, e que levou o povo russo à miséria, à fome, aos gulags!
    O que fez de bom o regime comunista à Rússia?
    Deu-lhe progresso?
    Desenvolvimento?
    Democracia?
    Ledo engano.
    As Forças Armadas soviéticas eram para mostrar aos capitalistas o seu poderio, enquanto que o povo passava por privações; o regime era mantido à força do medo, do desaparecimento, da ida à Sibéria e de lá jamais voltar!
    Não aceito que se façam apologias de governos criminosos, traidores, violentos e, o russo, foi o pior que este mundo já assistiu e que soube tarde, quando teve chance de pesquisar a respeito.
    Ora, um regime que ASSASSINOU mais de CEM MILHÕES de pessoas ao longo do mundo desde a sua implantação (Rússia, China, Romênia, Alemanha Oriental, Vietnã, Laos, Camboja e tantos outros países), ainda tem quem o defenda?
    Por favor, estamos perdendo o senso da dimensão, para não dizer do ridículo!!!
    Nesta comparação, o nazismo – pelo licença para dizer uma bobagem – foi uma reunião de freiras.
    Repito: comparando os dois nefastos regimes entre si, o nazismo assassinou muito menos pessoas que o comunismo.
    Portanto, Stálin, foi ao meu ver um criminoso infinitamente mais “vilão” que o seu concorrente, que também ostenta e merece o mesmo título.
    Então, se argumentar em favor dos nazistas é idiotice, como disse o bitt (!?), fazer a defesa do comunismo é uma irresponsabilidade!

    • Pietro Minucci
      27/10/2011 às 3:39 AM

      Em uma viagem que fiz no início dos 90,conheci,na Suécia,um casal de cientistas (físicos) que haviam emigrado da USSR. Fizeram um comentário sobre o comunismo,o qual tornou-se um depoimento inesquecível para mim: disseram: “…it is a big lie!”

    • Luiz
      03/07/2012 às 4:26 PM

      concordo com cada palavara. A unica diferença entre Stalin e Hitler é que Hitler perdeu a guerra. E como sabemos, a “estória” é escrita pelos vencedores. Ja ´pensaram no escandalo que seria se Hitler tivesse soltado a primeira bomba atomica?? Mas como foi os EUA isso ficou como um ato heroico. Todos que estao discutindo aqui sao pessoas inteligentes e que realmente sabem o que fala. Mas nao podem negar que Hitler nao foi um mal administrador. Porem louco rs.

  17. Nestor Magalhães
    04/10/2011 às 9:50 PM

    Sou um apaixonado por História Militar do Século XX, particularmente pela II Guerra Mundial, assunto que prende a minha atenção há cerca de 50 anos. Todavia o meu total interesse é técnico e tático, nunca político. Bem, realmente quem escreve a história são os vencedores, isto eu nunca tive dúvidas. Entretanto nunca houveram bonzinhos e sim poderosos interesses que mataram milhões de seres humanos. E eu sempre digo que, perto do Comunismo, regime que liquidou com 100.000.000 de seres humanos no século passado, os nazistas transformam-se em “reunião de clube da mães da paróquia Sto Antônio”.

  18. 16/10/2011 às 11:36 PM

    a primeira mentira contada sobre hitler. foi que ele organizou a olinpiada de 1936 para mostrar ao mundo a superioridade alema.total de medalhas ganhas por atletas alemaes 88.todas as superpotencias juntas nao atingiram este numero.para sustentar esta mentira muitas outras foram contadas.mas aos poucos a verdade esta aparecendo.por decadas jogaram nas costas dos alemaes o massacre dos oficiais poloneses .agora o mundo sabe a verdade. poucos como eu ja sabia.quando frances ingles sovieticos e norte americano estao juntos defendendo a liberdade e judeu sao vitimas.esta historia cheira muito mal.

  19. Ismar
    28/10/2011 às 6:08 PM

    “Quem escreve a história são os vencedores” é uma frase verdadeira para as ditaduras. Na democracia, pessoas tem liberdade de pesquisa e expressão. Mentiras sobre o nazismo não teriam sobrevivido ao apego obsessivo dos americanos e europeus ocidentais à liberdade de expressão e pensamento. Fato é que as acusações à sociedade alemã (e não apenas a seu líder Hitler) foram amplamente comprovadas pela farta documentação gerada pelos próprios alemães, por fotografias, filmes e depoimentos colhidos ao fim da guerra e nas décadas seguintes. O regime nazista foi mais longe que outras ditaduras na sua intenção e ação de determinar que povos deveriam servir a outros povos e que povos deveriam ser aniquilados.

    Por um lado, a condenação aos alemães daquele tempo não se converte em condenação do povo alemão para sempre. Por outro lado, a condenação dos nazistas não é absolvição de regimes desumanos que antes e depois da década de 1940 agiram e continuam agindo contra qualquer razão.

    • O povo se esquece que a moeda tem dois lados
      17/02/2012 às 12:34 AM

      O que você chama de “provas”, tenho as contra provas, logo mais as divulgarei na web.
      É fácio mudar um acontecimento usando como ilustração um imagem qualquer de sua epoca, que possa representar de certa forma qualificar, o que você diz.
      Eu trabalho com publicidade, sei do que estou falando, pois eu entendo a forma com que a propaganda induz a crença popular.

      Chega a ser até engraçado o desespero dos autores da história do holocaustro, tentando sustentar seus argumentos usando como “provas”, qualquer coisa por mais dificio que seja interligar aos tais “acontecimentos”.

      Uma das coisas imcompreensíveis a respeito do ziklon B, é, Como um país que detinha de tecnologia de armas químicas, e que usou na 1° guerra gases venenosos, usaria um pesticida de piolhos, para exterminar “milhões”.
      E isso não é nada!

      Os Países que foram aliados contra o eixo, possuem em sob seu poder mais de 500.000 horas de registros em video feitos pelos nazis, o que liberaram não chega a nem a 30.000.
      Com tudo em mãos, inclusive a maioria das documentações que os colocam em cheque, o que podemos dizer é que o Tribunal Internacional em Nurernberg, fez um verdadeiro linchamento revanchista.
      Aprofunde-se no conhecimento e revolte-se com a enganação.

      • Ismar
        17/02/2012 às 8:52 AM

        Aparentemente, você nunca visitou algum “museu do holocausto,” existem vários ao redor do mundo, alguns já fui pessoalmente. O de Curitiba é o único do Brasil e ainda não visitei.
        Outra experiência relevante é visitar um campo de concentração.
        As provas não são fotografias velhas em livros (que, aliás, não eram tão falsificáveis na era analógica há 50 anos quando foram publicadas). Comunidades inteiras sumiram e os objetos, documentos e fotos delas estão expostos.
        Além disso, são centenas de milhares de depoimentos gravados. Essa é a prova irrefutável: as pessoas contaram o que viram. Vítimas e algozes!
        Eu ouvi depoimentos gravados aqui mesmo, na minha cidade, em que a entrevistadora foi minha mãe. Pessoas muito idosas contando ao gravador como fugiram escondidos em uma mala, por um esgoto ou algo assim.
        Fosse mentira, por que alemães teriam pago indenizações por tantas décadas, criado museus, mostrado documentos oficiais do maldito governo nazista e se preocupado tanto com educar seu povo para nunca esquecer da vergonha?

  20. Hamilton
    06/11/2011 às 1:45 AM

    Hitler foi um líder carismático e competente o bastante para transformar um País, de arruinado, e destituido de suas industrias, em uma superpotência militar e econômica em apenas 6 anos (1933 e 1939). Isso, por si só, já deveria causar espanto e curiosidade em todos os que se aventurarem a tentar entender um pouco do que se passou naquela época. A Alemanha de Hitler produziu o 1º carro popular da história ( o fusca), a TV, os filmes coloridos, o avião a jato e o 1º missil da história (as bombas V1 e V2). Produziu também (por criar condições para que trabalhassem e colocassem à prova sua competência) gênios como Verner Von Braun, cientista que (anos depois) comandou a NASA e foi o principal responsável pelo sucesso do programa espacial norte americano. A 2ª guerra foi uma tragédia para a humanidade, mas ela foi produto (como sempre) de disputas políticas e econômicas entre as principais potências da época (havia a democracia e a economia de mercado dos EUA, Inglaterra e França, o comunismo da gigante URSS e o nazi-facismo da Itália e Alemanha – aliados do nacionalismo fanático do Japão. Não havia espaço para todos no coração do mundo (Europa) e a guerra reordenou e realinhou as forças, dividindo literalmente o mundo em dois – capitalismo e comunismo (guerra fria). Ao final do conflito, é claro, as coisas tinham que ficar bem divididas, como nos filmes de Hollywood: de um lado os mocinhos e de outro os vilões. E assim a história foi contada e é repetida até hoje (não se pode ignorar fotos montagens, campos de concentração espalhados pelos países aliados, bombardeios indiscriminados sobre cidades e populações civis indefesas, estupros em massa, massacres indiscriminados etc. Foi uma época de heróis dos dois lados, mas de crimes contra a humanidade também dos dois lados – que nunca mais se repita!)

    • Hugo
      23/01/2014 às 8:46 PM

      nota 10 pelas suas observações e comentários. abç… apenas mais duas coisas que você esqueceu de citar , a construção de Autobahn, e do primeiro programa mundial de prevenção ao câncer da mulher. As bombas V1 e V2 estão expostas em Washington no museu Smithsonian, e os aviões também….

  21. Hamilton
    06/11/2011 às 1:51 AM

    Ops: Desculpe, amigo Chico Miranda! Quase ia perdendo a oportunidade de parabenizar o amigo pela obra prima que é seu Blog. Parabéns pela iniciativa, pela coragem e pelo despreendimento. O mundo e o Brasil seriam outros se a história da humanidade fosse enfrentada e encarada como ela de fato ocorreu, e não através de versões e “estórias”. Ninguém deve “fazer a história”, porque ela já foi feita por quem a viveu, lá atrás, quanos fatos ocorreram. Grande abraço ao amigo!

  22. ddd
    11/11/2011 às 2:46 PM

    Não há como dizer que o nazismo ou o comunismo foi pior ambos tiraram a vidas de inocebtes.E a forma como se mata não faz diferença se é com gás ou bombas.

  23. Carlos Alberto Molkenthin
    31/12/2011 às 3:36 PM

    Prezado Chico Miranda
    Desejo parabenizá-lo pelo seu blog. Primeira vez que consulto.Necessito sua orientação. Meu avô participou da Primeira Guerra Mundial lutando pelo Império Alemão. Na época houve a necessidade de reforço de guerra com criação dos bonus Ouro por Armas,tendo doado joias. Soube que houve resgate dos valores. Tem fundamento? Como devo proceder? Onde consultar?
    Em 1924 meu avô e família, veio para o Brasil. Soube na época do falecimento de minha avó, uma tia, questionou onde estariam os Bonus?

    • 31/12/2011 às 3:55 PM

      Caros Carlos Alberto,

      Inicialmente esses bônus de guerra eram utilizados como título de capitalização com resgate posterior, seria basicamente como a compra de títulos do tesouro, claro que com o risco do país perder a guerra e o governo não honrar o reebolso, exatamente como aconteceu. No caso de bônus de guerra é necessário a comprovação da compra ou qualquer documento que indique a aquisição desse bônus, caso alguém de sua família tem guardado alguma prova que provavelmente irá ser solicitada. Podemos levantar historicamente a prática dessa ação na Alemanha durante a Grande Guerra, caso não você não tenha qualquer documento que comprove poderá realizar um pesquisar de campo na Alemanha para comprovar a relação de sua família com o bônus de guerra, depois entrar com um processo na Alemanha para ressarcimento pelo herdeiros. Funciona basicamente assim. Evidentemente é um processo trabalhoso e custoso, mas é possível se conseguir. Aconselho você também ir antes a uma representação diplomática da Alemanha se interar dos processos de reconhecimento desses bônus.

      Qualquer coisa estou à disposição se for para ajudar.

  24. Elias
    01/01/2012 às 12:20 PM

    Parabéns chico pela sua colocações , para mim que amo historia porem tenho pouco conhecimento todos foram homens cruéis, porem não entendo tamanho odeio de Hitler pelo Judeus e sua ideia de implantar uma nova ordem mundial, hoje tanto se fala de uma nova ordem mundial tanto quanto estranha e confusa;

    quero lhe se tem algum material sobre a maquina do juízo final de Hitler, rumores ou lenda tudo se deu inicio na Checoslováquia

  25. Elias
    01/01/2012 às 12:22 PM

    Elias :
    Parabéns chico pela sua colocações , para mim que amo historia porem tenho pouco conhecimento todos foram homens cruéis, porem não entendo tamanho odeio de Hitler pelo Judeus e sua ideia de implantar uma nova ordem mundial, hoje tanto se fala de uma nova ordem mundial tanto quanto estranha e confusa;
    quero lhe pedir se tem algum material sobre a maquina do juízo final de Hitler, rumores ou lenda tudo se deu inicio na Checoslováquia

    Elias :
    Parabéns chico pela sua colocações , para mim que amo historia porem tenho pouco conhecimento todos foram homens cruéis, porem não entendo tamanho odeio de Hitler pelo Judeus e sua ideia de implantar uma nova ordem mundial, hoje tanto se fala de uma nova ordem mundial tanto quanto estranha e confusa;
    quero lhe se tem algum material sobre a maquina do juízo final de Hitler, rumores ou lenda tudo se deu inicio na Checoslováquia

  26. 31/01/2012 às 9:22 PM

    Muito bom o texto! Sobre o tema gostaria de indicar além de Simon Montefiore, Max Gallo, recomendo, “O Pacto dos assassinos” infelizmente não encontrei em português, indico em:

    Francês: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=22138179&sid=0121152591413179671287732

    Ou em espanhol: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=2965934&sid=0121152591413179671287732

  27. Jefferson Teixeira
    29/05/2012 às 10:56 PM

    Prezado Chico,
    Finalmente encontrei um blog legal sobre história, parabéns!!!
    Você leu: As Relíquias Sagradas de Hitler, o que achou?? Eu li e gostei pela visão humana que o protagonista da em relação a Alemanhã no pós-guerra… as vezes tento imaginar o estado de espírito de um povo duplamente derrotado pelo inimigo interno (nazismo) e externo (aliados)… é um tema a ser estudado.

  28. joao
    30/05/2012 às 3:11 PM

    Pietro Minucci :Apoio a posição de F.Miranda.Cada comentarista é responsável pelas suas declarações.Aqui no pequeno municipio onde moro o dono do provedor não abre espaço ,no seu site,para o debate publico das notícias postadas,alegando que o debate descamba muitas vezes até para o xingamento pessoal.Entendo que ofensas pessoais são deploráveis e dão a medida do QI dos seus autores.Todavia,a censura prévia praticada pelo “dono” do espaço é absolutamente odiosa e retrógrada.

  29. Job de Azevedo
    15/06/2012 às 8:36 PM

    Na realidade a história é contada pelos vencedores. Como foi exposto pelo Francisco Miranda os aliados também cometerem verdadeiras atrocidades. Quem não sabe sobre o ataque a Desdem que Churchill mandou soltar milhares de toneladas de bombas sobre a ciade num ataque desproporcional a menos de 15 dias do final da guerra, quando já se sabia que a Alemanha estava derrotada.

  30. Rubens
    01/10/2012 às 2:07 PM

    Lamentavelmente a guerra mata dos dois lados. Agora fazer de Hitller um heroi como muitos querem e esquecer o lado negro do holocausto e milhões de vitimas dos campos de concentração não pode ter perdão. A guerra é ruim tanto para quem perde como para quem ganha. A luta deve ser por mais amor, mais compreensão e mais tolerância entre todos, não importanto se o individuo é branco, negro, se é judeo ou não. No dia em que o ser humano parar para pensar que viver em paz e bem melhor do fazer a guerra, aí sim o mundo viverá dias de plenitude, onde todos se sentirão protegidos sem ameaças e barbaries.

  31. Katia
    29/10/2012 às 12:43 PM

    Olá, li os comentários e tenho algumas considerações..só espero desta vez conseguir postá-las, pois toda vez é retirada do site. Muito bem dito o comentário de Rubens: “lamentavelmente a guerra mata dos dois lados.” Mas não diria que Hitler foi um herói ou “a pessoa do mal”, só vou dizer que ele salvou a Alemanha, apesar de ter a guerra perdido, meus avós estavam lá antes da guerra e a pobreza era imensa, sendo os judeus detentores da ganancia e poder. Eu diria que ele salvou a Alemanha. Quanto ao campo de concentração, é uma guerra e não um spa, doença, piolhos, fome rondava o lugar. Estranhamente os números dos judeus sempre dimininui ao se tratar dos judeus que foram mortos no holocaustro, primeiramente 12 , após 6 e depois 3? estranho, não é?

    • Job Azevedo
      30/10/2012 às 1:48 PM

      Kátia, perfeito o seu entendimento. Vários alemães no mundo inteiro retornaram para a sua pátria, pois o milagre estava acontecendo e Hitler estava reerguendo a Alemanha. Quem não teria orgulho disso. Os grandes líderes aparecem nessas ocasiões e resolvem. Mas como eu disse em outro post, a história sempre é contada pelos vencedores. Aos perdedores não resta réplica nem tréplica.

    • Ismar
      05/11/2012 às 7:30 PM

      1) Hitler não salvou a Alemanha, ele afundou a Alemanha em uma aventura ridícula que terminou com humilhação, fatiamento do país e décadas de trabalho para pagar as dívidas da guerra. Mais de 80% da geração de alemães que participou desse desastre nunca mais votou em partidos semelhantes ao nazista.

      2) Se os judeus tinham o poder na Alemanha, como Hitler conseguiu o poder em eleições? Na Europa Central – inclusive na Alemanha – judeus e várias outras etnias e culturas conviviam em maior ou menor grau de conflito. Havia judeus ricos e pobres como havia alsacianos protestantes ricos e pobres. Judeus, negros, homossexuais e outras minorias foram usadas por aquela ditadura (e por tantas outras) porque são grupos sociais fáceis de isolar e a eles atribuir culpas de lideranças irresponsáveis.

      3) Exceto pelos soviéticos, a maior parte dos “vencedores” (em guerras todos perdem) que escreveram a história da 2a Guerra Mundial foram democracias, onde pesquisadores e historiadores tiveram e têm livre acesso a documentos. Mentiras não sobreviveriam a mais de 60 anos de investigação. Fato é que a cultura metódica e industrial dos alemães fez com que eles mesmos documentassem os crimes que praticaram. Até porque não consideravam crime, para eles era o certificado de uma tarefa necessária: matar minorias, escravizar maiorias e outras loucuras. Basta visitar os muitos museus do holocausto espalhados no mundo para verificar como a barbárie foi documentada em livros de registro, filmes e crônicas.

      4) Não sei a que Katia refere-se quando afirma que os números dos judeus mudam. Os números são dos institutos de pesquisa e 6 milhões é uma aproximação de consenso para a população judaica morta nas câmaras de gás, campos de concentração e de extermínio, guetos incendiados e assim por diante. Outras minorias (como os ciganos) também foram alvo de assassinato industrial. Povos que entraram na guerra também morreram na mesma ordem de grandeza, mas não se pode confundir as inevitáveis mortes em guerra da famigerada “solução final”.

      • B.
        28/08/2013 às 9:02 PM

        É claro que o holocausto existiu, mas não da forma que conhecemos hoje. Mas defender a verdade é sempre complicado diante de um povo que se baseia pela mídia (como a maioria, presumo)

        Muitos judeus que morreram pela guerra e fome, foram computados nesses 6 milhões do holocausto. As pequenas câmaras de carbonização de cadáveres não seriam capazes de queimarem um número tão alto.

        A morte em massa de judeus deveria começar no fim de 43, o que dava menos de 2 anos para a façanha:
        assim em Auschiwtz-Birkenau deveriam morrer 80% dos 6 milhões de judeus em 2 anos ou 6.575 pessoas diariamente sem falhar um dia sequer.
        É sabido ainda que fosse possível matar tanta gente por dia, os corpos deveriam ser queimados até um grau mínimo de degradação e isso implica num bom tempo e muita energia de óleo, gasolina ou carvão, extremamente rara nas Guerra.
        Seria muito sensato admitir de não mais do que alguns milhares tiveram esse fim.
        A própria câmara de gás deveria ser de proporções incríveis, pois para cada sessão de extermínio, deveria ser limpa dos corpos, os quais seriam carregados para o despojo final. Os kapos que faziam o serviço deveriam ser em número de pelo menos 50% dos exterminados diariamente para poderem arcar com o trabalho naquelas condições.
        É impossível que esse número seja verdadeiro.

        Sem contar que a perseguição contra negros e homossexuais, que são umas das maiores mentiras da humanidade!

        Nunca houve, ao menos de forma organizada, o objetivo de aniquilar ambos. O que existia era uma conduta conservadorista e anti-miscigenação por parte de Hitler. Existiam fileiras e fileiras de negros no Exército Alemão. Países Africanos apoiaram o Eixo durante o conflito. Isso seria ao menos insensato para alguém que condenava raças ditas impuras, não?

  32. speckneto
    24/08/2013 às 8:51 PM

    Não há anjos em nenhum dos lados.
    Na guerra todos viram demônios.

  33. job
    27/08/2013 às 7:16 PM

    Vi comentários de todas as tendências. Mas concordo com Chico, não precisa ter estado no conflito dentro do teatro para saber a história serve para isso. O que se sabe e é claro que os vencedores escrevem o que querem, mas a realidade sempre existe e as respostas concretas com os estudos científicos e acadêmicos aparecem. A guerra não tem vencedores, mas querer creditar tudo de ruim da guerra a Hitler não pode. Quando eu era adolescente estudei no Colégio Winston Churchill, em plena ditadura e quando se perguntava quem foi Churchill eu prontamente respondia foi o pacificador da Segunda Guerra., pois era isso que eles me ensinaram. Uma vez respondi isso para um alemão e ele me disse: “Depende do ponto de vista” ou seja para Alemanha os aliados fizeram atrocidades que não foram a julgamento como o ataque desproporcional a cidade de Desdren com um bombardeio de uma semana intenso e criminoso. e muitos outros crimes que não foram a julgamento. Parabéns Chico, o blog está de parabéns e você com sua clareza e imparcialidade. É assim que a história deve ser contada. Vamos sim exumar e reescrever a história. Chega de mentiras dos vencedores.

  34. Augusta Cristina
    05/11/2013 às 4:42 PM

    Amei o blog. Obrigada!

  35. Hugo
    23/01/2014 às 9:05 PM

    Job, ainda bem que você lembrou sobre Dresden, o ataque covarde inglês feito com bombas de fosforo que queimaram as casas, os teatros, e as pessoas. Quem estudou sobre isso sabe que Dresden era chamada a cidade Luz, uma cidade que não tinha nenhum poderio militar que justificasse esse ataque covarde. Mas esse massacre foi feito sob o comando e ordens do conhecido alcoólatra inglês, por ser um objetivo fácil para um oportunista como ele. A frase é dele ” o álcool me deu mais do que me tirara…”Se pesquisar mais, encontrará que esse dito herói, também não tinha nada que o qualificasse na excelência de estrategista militar ou politico. Este blog tem uma coisa muito boa, que é permitir às pessoas postarem com liberdade fatos provenientes de sua própria pesquisa, contra a história manipulada que somos forçados a deglutir, pelo massacre da mídia paga.

  36. 06/02/2014 às 10:22 PM

    quanta historinha… acho engraçado os comentários he hehe… mas falando sério agora, pq vc não poe ai no Blog, “Alemanha e URSS invadem a polonia mas atacam só os alemães, pq será?” ou “criam um genocidio e em seguida um estado de israel… pq será?”

    Se este Blog fosse revisionista teria crédito, mas é só um blog de historinha pra mediocres.

  37. 28/03/2014 às 9:34 AM

    O que o comentário do Blog quis dizer é que o regime comunista na era Stalim foi tão perverso quanto o nazista. Eu diria que o regime stalinista foi muito pior porque matou mais o seu próprio povo. Entendo que o assunto é sensível para os judeus, defendo inclusive a sua posição atual de que nunca mais morrerão como carneiros, aprecio profundamente os fundamentos do estado de Israel.
    O que não se pode negar é que o Stalim foi uma besta humana, isto não.

  38. 22/05/2014 às 7:46 PM

    a diferença entre hitler e stalin, o comunismo se revela quase ao que vivemos hoje, ja o nacional socialismo de hitler visava o grande desenvolvimento, todos sabem que a historia e sempre contada pelos vencedores, e com isso depois de tantas historias mentirosas a historia começara a ser revelada ou seja a verdade prevalece, pois ninguem parou pra pensar que a maioria das coisas que utilizamos sao sim de tecnologia nazista,estranho néh,pensem um pouco corrida espacial, guerra fria, depois da derrota da alemanha, eua e urss vivem ate hoje em guerra guerra guerra, fora a impunidade que vivemos nos dias de hoje, onde se fizermos um calculo de 14 anos os indices ja superam o holoconto e muito de pessoas honestas que morreram nas maos de bandidos que seguem impunes e glorificados por muitos, os aliados e a democracia venceram, porem nos paizes subdesnvolvidos prevaleceram a libertinagem. patriotismo, nunca mais existira, fazer o que…..

  39. Lucas Olibio
    12/07/2014 às 11:42 PM

    Sr. Francisco já Zé passou alguns anos dessa postagem…mas venho parabenizalo pelo excelente artigo…achei muito interessante e fez. ter a certeza de uma coisa que eu sempre pensei que Stalin assim como Hitler foi um ser nefasto…sou judeu sei muito sobre o holocausto e as atrocidades cometidas pelos nazistas…mas tenho origem russa e minha família veio pro Brasil por um único motivo…fugir do regime de Stalin….fica um abraço e mais uma vez…parabéns pelo excelente artigo

  40. vicente
    09/08/2014 às 8:24 PM

    Por que quando se referem ao exército alemão sempre usam o termo Nazista e aos americanos e ingleses,etc utilizam a expressão Aliados? Deveriam utilizar tembém o termo Capitalistas. Afinal, mesmo aqueles que tentam se mostrar imparciais, são sempre tendenciosos e escondem ou desconhecema verdade.

  41. Marcos Silva
    18/08/2014 às 6:06 PM

    Senhores, na guerra não existem vencedores, TODOS PERDEM, a raiva e o ódio pelas perdas pessoais nos fazem esquecer o lado humano e passamos a ver TODOS como uma coisa única, e quando deixamos de enxergar o SER HUMANO, passamos a generalizar tudo, portanto as mulheres, civis, crianças e velhos e qualquer cor, etnia, passa a ser AQUILO do qual necessitamos eliminar, e por isso , assassinatos, estupros e outras atitudes menos humanas são desculpáveis , afinal estamos na guerra, ou são ELES ou NÓS.
    Ai o resto todos sabemos após duas guerras mundiais e isso parece de nada ter servido vejam a quantidade de guerras menores, revoluções entre miseráveis, lutas milenares, terrorismo daqueles que se recusam a sentar e discutir uma solução viável, querendo até o que é humanamente impossível e se forem satisfeitos procurarão novas causas porque o que eles odeiam e a própria existência e para isso não há remédio fácil.
    E ai os comerciantes sem escrúpulos sobre uma falsa capa de honestidade vendem armas para os dois lados fomentando mortes inclusive daqueles que não tem a menor chance de defender ou mesmo de abandonar e ai só resta morrer, vide o HOLOCAUSTO.

    Acho que me pleno século XXI devemos na verdade é tentar evitar o aparecimento de tais senhores, STALINSS, HITLERRRRRS, NAPOLEÕESSSSSS, etc. Se esses senhores ja tiveram algum valor algum dia, os jogaram na lata de lixo, matando inescrupulosamente afim de defenderem interesses no mais das vezes escusos.

    Lembremo-nos sempre que o HERÓI de uns é o CARRASCO de outros, quando se luta para defender algo é uma coisa, mas na verdade essas personalidades desejavam conquistas e posse de territórios e coisas que não lhes pertencem ou pertenceram em algum momento da historia que eles nem viveram para justificar sua ambição, arrogância e sede de poder, matando, mutilando sobre ideologias que provocam paixões, mas na prática só servem para justificar a SEDE DESMEDIDA DE PODER.

    Não estamos livres de repetir a história, acho que muitos estão fazendo isso nesse momento, temos e de evitar participar ou contribuir, ficar discutindo se essas tristes criaturas já foram alguém ou algo algum dia, e perda de tempo tudo que aconteceu poderia ter levado esses senhores em outra direção, NÓS SOMOS RESPONSÁVEIS POR NOSSAS ESCOLHAS, tudo mais é mera desculpa.

  42. Oliver Christian Rodrigues Ferreira
    20/09/2014 às 2:32 PM

    Parabéns pelo post. Foi um excelente texto abordando o que poderia ser retratado nas escolas e nos meios de comunicação. Acredito que do todas as guerras todos cometeram crimes contra os civis, e não deve ser pouco, só o povo que viveu isso e foi oprimido, pode dizer. O erro está do colocar como verdade suprema o lado de um, e claro dos vencedores. O verdadeiro guerreiro luta pela sua liberdade e não por ganância.

  43. 24/04/2015 às 3:05 PM

    O texto começou horrível e terminou pior, mas o pior mesmo é que esse tipo de informação pode alcançar pessoas erradas como as crianças em idade escolar ou os jovens fascinados pelo belicismo, por exemplo. Apesar da suposta “boa intenção”, o artigo é muito ruim porque está equivocado.

  44. Diego
    15/06/2015 às 8:20 PM

    Se voce for um genio e reeguer um pais das cinzas a se tornar a maior potencia mundial e nao for do meu pais, sim voce é um vilao. É assim que os aliados pensam. Um abraco a todos.

    • jobazevedo
      22/06/2015 às 4:45 PM

      Ou seja. Os do bem são eles. E as inúmeras mortes de civis que Churchill no auge da sua embriaguez autorizou. Desdren?

  45. Nicolau
    15/08/2015 às 12:36 PM

    Os bandidos soviéticos e anglo-americanos mataram 8 milhões de alemães e bombardearam e roubaram a Alemanha e depois jogaram bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, do outro lado temos os perversos racista judeus que na maior cara de pau se declaram racisticamente que são o “povo eleito”, mas mesmo assim o Hitler e o culpado! Haja pervrsão e banditismo!

  46. RICARDO LARIAS
    03/06/2016 às 9:50 PM

    Excelente tópico! Eu creio que Hitler e Stalin são figuras assustadoras e genocidas de fato, ficar de frente a qualquer um dos dois gelaria o sangue de qualquer um! Mas, concordo que Adolf Hitler é infinitamente mais perverso que o paranóico Joséf Stalin. O Stalinismo e comunismo tomaram o poder em várias nações de 1917 á 1991. Durou 74 anos na Europa, começou a desmoronar em 1989 com a Queda do Muro de Berlim e a dissolução da URSS. Ainda respira por aparelhos na Coréia do Norte e em Cuba, e mesmo na China está capitulando. Mas, mesmo com os genocidios em vários paises feito pelo comunistas, mesmo assim, bilhões de pessoas viveram sob o comunismo desde 1917. Não dá para comparar com os 12 do nazismo, que, dentro das nações que ocupou, perseguiu e matou várias minorias, entre judeus, russos, ucranianos, ciganos, testemunhas de jeova, deficientes fisicos, etc. Nada comparado a isso ocorreu nos paises comunistas, nem na URSS. Stalin matou milhões de ucranianos, mas, não exterminou o povo desse país. Destestava judeus, mas nunca ordenou o exterminio deles, nem de ciganos, deficientes, etc. Se Hitler tivesse vencido a guerra na Europa, não teriam morrido só 70 milhões na segunda Guerra. Hitler e seus sucessores com sua politica de superioridade ariana matariam centenas de milhões de pessoas a mais que o comunismo ao longo de sua história. Pergunte para um judeu, deficiente fisico se ele preferiria viver na Alemanha de Hitler ou na Russia de Stalin…Acho Stalin uma criatura perversa, traiçoeiro, paranoico, mas, absolutamente necessário para derrotar o homem mais diabólico que existiu: Adolf Hitler! Foi necessário um tirano para derrotar outro, muito pior. Não há comparação se o nazismo tivesse conquistado a Europa. Stalin foi um mal necessário, se ele não tivesse reformado a industria russa, utilizado seus Grande Expurfo em 1938, trnasformado a URSS num estado policial, Stalin provavelmente teria sido morto nos anos 30 e Hitler facilmente conquistaria Moscou na Segunda Guerra, e os Aliados jamais poderiam bombardear a URSS. O mundo seria outro hoje, muito pior. Eu digo, eu detesto Stalin, causou a Guerra da Coreia por puro orgulho. Dependia só de Stalin para não haver essa guerra, mas, só para mostrar poder, votou pelo inicio da Guerra da Coreia, que dependia só dele para não acontecer. Mas, mesmo assim, respeito Stalin por ter ajudado decisivamente em destruir o pior governo que já existiu na face da Terra, o nazismo.

  47. 13/09/2016 às 4:26 PM

    Lênin e Hitler na II Guerra, Médice no Brasil, Bush em Guantânamo: pra mim, tortura é tortura, não dá para comensurar a dor: ideologias à parte, pra mim, eles são todos farinha do mesmo saco.

  48. 11/10/2016 às 11:04 AM

    Perdoi-me mas está muito incompleto, inclusive há vários depoimentos de judeus dizendo que o “holocausto” não existiu…

  1. 03/01/2011 às 9:44 AM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: