Início > Artigos e Especiais, Guerras, História > Stálin – Um Mentiroso Convincente – Discurso Parte II

Stálin – Um Mentiroso Convincente – Discurso Parte II


Platão disse uma vez que os governantes nunca devem contar toda a verdade ao povo, contudo o ditador Joseph Stálin gostava de enganar o povo segundo seus interesses políticos miseravelmente, e sua forma de agir era, muitas vezes, pouco convencional. Por exemplo, no início da década de 30 o líder soviético encomendou um censo populacional e os resultados foram, para “surpresa” dos líderes soviéticos, pouco produtivos, já que população diminuiu quase 32% entre as décadas de 20 e 30, devido as execuções em massa que eram deliberamente empreendidos pelo regime socialista. Resultado? Os recenseadores foram enviados a campos de concentração e trabalhos forçados ou executado! Óbvio!!

Na segunda parte do discurso proferido pelo pouco convencional Stálin para o povo soviético lutar contra a invasão nazista, é de se pensar que a “maldosa horda fascista”, foram recebidos como libertadores em várias cidades soviéticas. Stálin tenta minimizar novamente o Pacto Ribbentrop-Molotov, como sendo um legítimo instrumento de paz entre o URSS e a Alemanha de Hitler. Mentira! O infeliz dividiu a Polônia antes da invasão alemã, considerando inclusive áreas de influência entre os países do leste europeu. E em termos mais obscuros se comprometendo em enviar tropas russas para uma possível agressão ocidental.

Mas uma coisa o Stálin tinha razão…Quando ele diz que militarmente Hitler teve vantagens no avanço em terreno soviético, mas politicamente os russos tiveram a vantagem do mundo.

Finalizando, Stálin incentiva os soviéticos a lutarem por sua liberdade, infelizmente eles não viram liberdade nem durante a guerra, nem depois dela, nem mesmo seus filhos viram a liberdade…Eles vieram saber o sentido da liberdade cívica  só há alguns anos.

Parte II
“O que a Alemanha fascista ganhou e o que ela perdeu, por perfidamente, rasgar o pacto e atacar a URSS? Ela ganhou certa posição vantajosa para as suas tropas por um curto período de tempo, mas perdeu politicamente, expondo-se aos olhos do mundo inteiro como um agressor sanguinário. Não pode haver dúvida, que este ganho militar de curta duração, para a Alemanha é só episódio, enquanto o tremendo ganho político da URSS é um fator importante e duradouro, que é obrigado a formar a base para o desenvolvimento de sucesso militar decisiva do Exército Vermelho na guerra contra o fascismo Alemanha.
É por isso que todo o nosso valoroso Exército Vermelho, toda a nossa valente Marinha, todos os falcões da nossa Força Aérea, todos os povos do nosso país, todos os melhores homens e mulheres da Europa, América e Ásia, e, finalmente, todos os melhores homens e mulheres da Alemanha – denunciar os atos traiçoeiros dos fascistas alemães, simpatizam com o governo soviético, aprovam o seu comportamento, e ver que a nossa causa é justa  e, que o inimigo será derrotado e que a vitória será nossa .
Em conseqüência desta guerra que tem sido forçada sobre nós, o nosso país tem vindo a enfrentar a morte com seu inimigo mais amargo e mais astuto – o fascismo alemão. Nossas tropas estão lutando heroicamente contra um inimigo fortemente armado com tanques e aviões. Superando inúmeras dificuldades, o Exército Vermelho e a Marinha Vermelha estão abnegadamente lutando por cada centímetro de solo soviético. As principais forças do Exército Vermelho estão entrando em ação armada, com milhares de tanques e aviões. Os homens do Exército Vermelho estão exibindo valor sem precedentes. Nossa resistência ao inimigo está a crescendo em força e poder. Lado a lado com o Exército Vermelho, todo o povo soviético está levantando em defesa de nossa terra natal.
O que é necessário para pôr fim ao risco que pende sobre o nosso país, e que medidas devem ser tomadas para acabar com o inimigo?
Acima de tudo, é essencial que o nosso povo, o povo soviético, deve apreciar a imensidão integral do perigo que ameaça nosso país e arrematar a complacência, o descuido e a mentalidade de trabalho construtivo pacífico que era tão natural antes da guerra, mas que é fatal, hoje, quando a guerra mudou radicalmente a situação. O inimigo é cruel e implacável. Ele está aqui para tomar as terras que foram regadas com o suor do nosso rosto, para aproveitar os grãos e o petróleo que foram obtidos com o trabalho de nossas mãos. Ele está para restabelecer o primado dos latifundiários, para restaurar o czarismo, para destruir a cultura nacional e à existência como estados nacionais dos russos, ucranianos, bielo-russos, lituanos, letões, estónios, os uzbeques, os tártaros, moldavos, georgianos, armênios, Azerbaijanians e os outros povos livres da União Soviética, de germanizar eles, para convertê-los em escravos dos príncipes alemães e os barões. Assim, a questão é de vida ou morte para o Estado soviético, de vida ou morte para os povos da URSS, de que os povos da União Soviética devem ser gratuitos ou cair na escravidão. O povo soviético deve perceber isto e deixar de ser descuidada, pois eles precisam se mobilizar e reorganizar todo o seu trabalho em pé de guerra nova, onde não pode haver misericórdia para o inimigo.”
Link da Parte I
FOTOS:

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: