Início > Guerras, História > 05 de Junho 1944 – DIA D 67 Anos – Especial – Parte I

05 de Junho 1944 – DIA D 67 Anos – Especial – Parte I


 A Ordem para o Dia D foi dada pelo General Eisenhower no dia 05 de junho de 1944. Após ter adiado em 24 horas a Invasão à Europa devido a problemas meteorológicos, o Comandante Supremo dar às ordens para que a Operação Overlord inicie. E a primeira tropa a cruzar o Canal da Mancha em direção a Muralha do Atlântico foram as tropas pára-quedistas, dos quais destacamos abaixo a ação da 101ª Divisão Aerotransportada no decorrer do Dia D:

A 101ª Divisão Aerotransportada entrou em ação pela primeira vez na Segunda Guerra durante a invasão da Normandia – 6 de junho de 1944. A divisão, como fazia parte do VII Corpo de assalto, saltando na manhã escura do antes da H horas para tomar posições a oeste da praia chamada Utah. Dada a missão de estabelecer flancos sul do Corpo, a divisão também tinha que eliminar as defesas secundárias dos alemães na praia, permitindo que as forças marítimas da 4ª Divisão de Infantaria, uma vez em terra,  pudessem continuar a invasão. As águias foram capturar as pontes que corria atrás da praia, entre St. Martin-de-Varreville e Pouppeville. No setor sul da divisão, foi para aproveitar o bloqueio barquettela e destruir uma ponte da estrada a noroeste da cidade de Carentan, e uma ponte da ferrovia oeste. Ao mesmo tempo, elementos da divisão foram estabelecer duas pontes sobre o rio Douve em Le Port, a nordeste de Carentan.

Crônicas das Operação na Normandia

 Como a força de assalto se aproximando da costa francesa, encontramos pesadas nuvens e fogo antiaéreo, o que obrigou os aviões a quebrar a formação. Os pára-quedistas da 82ª e 101ª Divisões Airborne perderam suas zonas de pouso e foram dispersos sobre grandes áreas. A primeira luta de muitos combatentes foi para encontrar suas unidades; 1.500 soldados da divisão foram mortos ou capturados. Quando as unidades ou soldados finalmente se reuniram, eles tinham dificuldade em identificar suas localizações em relação aos seus objetivos. Os pára-quedistas da 101ª receberam reforços na madrugada, quando 51 de planadores da divisão foram se estabelecendo por terra. Os planadores, porém, tinha seus próprios problemas. Muitos dos planadores caíram, e vários soldados da divisão foram mortos, incluindo o general Don F. Pratt, o comandante auxiliar da divisão. Os pousos dos planadores, ao entardecer daquele dia, produziram ainda mais vítimas.

 Os homens da divisão, porém, perseveraram e continuaram com as suas missões atribuídas da melhor forma possível. Ao anoitecer, os soldados da 101ª tinham garantido as saídas de praia, na sua zona e contatou as forças de desembarque da 4 ª Divisão. As Águias também controlavam o bloqueio barquettela, mas não puderam assegurar travessias sobre o rio Douve. No dia seguinte, elementos da 101ª tentaram avançar no setor sul da divisão, mas fez pouco progresso contra a pesada resistência do inimigo perto da aldeia de St. Come-du-Mont. No mesmo dia, o general Eisenhower ordenou que os esforços americanos se concentrassem em fechar a lacuna entre o V e VII do Corpo. O VII Corpo recebeu ordens para capturar a cidade de Carentan, e a tarefa foi dada a 101ª, já fora da posição de São Côme-du-Mont a noroeste.

 Em 8 de junho elementos do 501 e 506 Infantaria Pára-quedista, juntamente com o 1 º Batalhão,  encontrou uma força alemã na cidade de St. Come-du-Mont. O 3º Batalhão, 501ª, tomaram posições ao sul da cidade, ao longo da rodovia para Carentan, onde encontrou o inimigo. O 1º Batalhão, foi chamado para auxiliar o 3º, mas o inimigo retirou-se antes que as tropas chegassem. Ambos os batalhões do 101ª perseguiram o inimigo em retirada, mas não houve mais contato. Os alemães haviam abandonado a cidade, e as águias mudaram-se para planejar o próximo passo na unidade em Carentan.

 O ataque em Carentan era para ser em duas vertentes. O braço direito da unidade iria cruzar o caminho a noroeste de Carentan, em volta da cidade, e continuar a sudoeste para ocupar Billonerie, que, pensava-se, cobrir as potenciais rotas de fuga disponível para os alemães. O braço esquerdo do ataque iria atravessar o rio Douve perto Brevands, enquanto uma parcela menor da força se deslocaria a leste do rio Vire para manter contato com o V Corpo.

O 3º Batalhão, do 502º, levou a unidade para a direita. O progresso, no entanto, foi extremamente lento. Os homens do 502 avançaram ao longo do caminho, sem cobertura, sob fogo constante à medida que avançam. O batalhão avançou até chegar a ponte sobre o rio Madeleine e correu para uma posição fortificada do inimigo, concentrada em uma velha casa de fazenda e nas sebes adjacentes. O tenente-coronel Robert G. Cole, o comandante do batalhão, solicitou fogo de artilharia sobre a posição, mas não adiantou. Fixado para baixo, ele ordenou que os homens calassem as baionetas para o combate. O coronel Cole saltou para conduzir a carga, mas nem todos os seus homens tinham começado a executa a ordem. O executivo incitou os homens, e Cole continuava com os soldados que haviam seguido. Os alemães se retiraram da fazenda. Cole foi condecorado com a Medalha de Honra por seus esforços nesse dia. Infelizmente, ele foi morto em uma operação de divisão mais tarde antes de receber sua medalha.

 Tendo sofrido pesadas baixas em sua caminhada ao longo do caminho, e estar em desarranjo após a carga de baionetas, o batalhão não poderia perseguir o inimigo em retirada. O 1º Batalhão, 502 PIR, surgiu através da linha a seguiu os alemães. O 1º Batalhão, no entanto, tinha avançado mesmo sob o fogo e o 3º Batalhão, também era incapaz de fazer o exercício. Os dois batalhões, em vez disso, tinham que defender a posição recentemente tomada. Suas defesas foram postas à prova na manhã seguinte, quando os alemães lançaram um contra-ataque forte. Durante todo o dia os batalhões realizaram a defesa do terreno até que foram finalmente aliviado pelo 2° Batalhão. Elementos do 506ª Infantaria Pára-quedista aliviou os batalhões sitiados do 502 em 12 de Junho. Naquela noite o 506 tinha reforçado a unidade em Carentan.

 Embora o 502º tenha lutado ao longo do caminho, a 327 Planadores de Infantaria, com o 401 batalhão, levou o ataque de esquerda. Em 10 de junho elementos da força atravessaram o rio Douve e ocuparam a cidade de Brevands. A batalha continuou em direção ao sudeste da cidade de Auville-sur-le-Vey para manter contato com o V Corpo. Encontrando resistência alemã dura fora da cidade, o combate rompeu a linha inimiga para fazer contato com elementos da 29ª Divisão de Infantaria, que faz parte do V Corpo. O 327, depois de cruzar a Douve, tinham ordens de apreender tanto a ponte da ferrovia e da ponte da estrada que cruzava o Canal Ville-Taute, bloqueando as vias de evacuação do leste de Carentan. O regimento conseguiram capturar e segurar a ponte da estrada, mas a ponte da ferrovia foi destruída na luta. Os homens do 327 atravessaram o canal e continuaram a sua luta em direção a Carentan até a resistência inimiga interrompendo seu progresso sobre uma meia milha da cidade.

 O general Anthony C. McAuliffe, comandante da artilharia de 101, coordenou a movimentação final de Carentan, que teve lugar em 12 de junho. Ao longo da noite do dia 11, a cidade foi colocada sob fogo pesado, mas, as forças americanas desconheciam que a principal tropa alemã se retirara sob o manto da escuridão. Na manhã seguinte, o 2° Batalhão, 506 PIR, entrou Carentan do sudoeste e conectado com o 1º Batalhão, que se aproximou do nordeste. Uma vez que os dois batalhões tinham se comunicado, eles começaram a limpar a cidade dos vagabundos inimigos restantes. Sob as ordens para a segurança dos acessos à cidade, a 501 e 506 mudou ao longo das estradas para o sudoeste, enquanto que o 327 avançavam para leste. Ambos os grupos, porém, encontram oposição do inimigo, e seu progresso foi limitado. Em 13 de junho os alemães lançaram um contra-ataque feroz na tentativa de retomar a cidade. O Primeiro Exército com elementos da 2ª Divisão Blindada apoiaram a 101 na defesa Carentan. Juntos, os americanos pararam as linhas inimigas e consolidaram a ocupação da cidade.

 Dois dias depois, o VIII Corpo tornou-se operacional, e a 101ª foi transferido para a nova sede. Com a missão de estabelecer posições defensivas em toda a península de Cotentin, o VIII Corpo deu a responsabilidade para as águias protegerem o flanco esquerdo do VIII Corpo. Em 27 de Junho, a Divisão de 83ª Infantaria chegou e aliviou a 101ª. Dois dias depois, o 101 foi deslocado do VIII Corpo e enviado para Cherbourg para apoiar a 4 ª Divisão de Infantaria. O 101ª ficou como reserva do Primeiro Exército até meados de julho, quando retornou à Inglaterra para descanso e treinamento.

A divisão sofreu pesadas baixas de pessoal e considerável e perdas de equipamentos durante as batalhas da Normandia. A 101ª passou o verão substituindo equipamento, treinando novos soldados, e espera pela sua próxima missão. Em agosto de 1944, Eisenhower estabelece o Primeiro Exército Aliado Aerotransportado, para controlar os elementos das Divisões americanas e britânicas (e polonês). O novo exército foi posto à prova em setembro de 1944 durante o assalto dos Aliados no norte da Europa: Operação Market-Garden.

Anúncios
  1. Plínio
    05/06/2011 às 6:37 PM

    Espetacular, eu não canso de ler histórias sobre o dia D.. como sempre as fotos são de outro mundo.. e a melhor pra mim foi a carta do comandante supremo.

  2. Beth
    08/12/2011 às 8:25 PM

    Sem sombra de dúvida, a 101ª Divisão Aerotransportada foi uma divisão de heróis. Mesmo com tantas baixas, esses homens ainda que mesmo sem forças, foram até o fim. Um grande exemplo de heroismo. Adorei seu post a respeito. Muito bom!

  3. Adilton Valente Barbosa
    11/05/2012 às 12:26 AM

    Excelente o seu blog.Tambem gosto do assunto.Espero poder usufruir mais do seu conhecimento.
    Adilton

  4. Vinicius
    29/06/2015 às 3:55 PM

    muito boa historia, gosto muito de assuntos sobre guerra e acontecimentos, só acho que falto a explanação da companhia “E” EASY que foi fundamental nessa invasão com bravos homens e um grande líder Major Dick Winters que no dia D era o 2º tenente da companhia da 101ª divisão do 506 regimento da companhia E.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: