Início > Guerras, História > Invasão à Europa: Baixas e Socorro Médico

Invasão à Europa: Baixas e Socorro Médico


Uma das preocupações dos comandantes em relação à invasão da Europa era um número de baixas excessivo que as projeções iniciais relatavam. Segundo os relatórios iniciais de desembarque, até no Dia D foi passado para os comandantes de Unidades que o alto comando esperava 90% de baixa nas primeiras levas do assalto, fato que chegou próximo disso apenas em Omaha. Também as estimativas de baixa entre as tropas aerotransportadas seriam de aproximadamente 70%, causando resistências sobre a utilização dessa tropa, inclusive do próprio general Marshall que preferiria utilizá-la mais próximos da costa em um salto diurno. Por isso, Eisenhorwer dispensou muita correspondência tentando explicar os motivos de utilização das Divisões pára-quedistas mais no interior para proteção da Península de Contentin. Enfim, as baixas dos pára-quedistas chegaram a 30%, ainda alto, mas ainda assim longe das estimativas iniciais.

As operações posteriores ao Dia D foram tão, ou mais difíceis quanto o próprio Dia D em determinadores setores da operação. Batalhas se repetiram por todo o mês de junho e julho, e cidades como Caretan e Cherbourg, entre outras, foram sistematicamente bombardeadas e baixas entre civis e militares, entre atacantes e defensores, acrescentavam os números de mortos e feridos e começam a superlotar hospitais de campanha preparados no pós-invasão; cada vez mais feridos tinham que ser transferidos para Londres, e o número de mortos sobrecarregou as unidades de sepultamento. Milhares são enterrados em cemitérios preparados em território francês para guardar, em definitivo, os soldados caídos em combates. Lembrando também que há cemitérios de tropas alemãs na França, portanto os mortos, quando possível, eram sepultados de forma justa e honrosa.

Não podemos deixar de lembrar a Unidade Médica, que muitas vezes atuou como infantaria, sendo incorporados a unidades de combate quando necessário. Mas que viu todo o tipo de ferimento possível em um homem, muitos desses soldados, com pouca formação clínica e muita experiência de campo como enfermeiros, foram a última imagens, a última mão que muitos soldados seguraram antes de partir. E infelizmente gostamos de valorizar o Bravo Soldado, mas deixamos de lado o Bravo Enfermeiro  que lutou incorporados as unidades de frente.

 Vamos ver abaixo uma nova série de fotos que contemplam da bravura do soldado morto em combate e percepção do médico de campanha.

 Algumas cenas são fortes, mais uma vez solicitamos descrição.

 Versão em SlideShow:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Versão Fotos Galeria

Anúncios
  1. washington jadum de campos
    26/08/2011 às 9:40 AM

    Realmente uma verdadeira carnificina, coitados, mas os horrores das batalhas deixam com nós nas nossas gargantas, mas é a querra, esta postagem vai ajudar em muito no trabalhos escolares de minhas sobrinhas, grato.

    • 26/08/2011 às 9:42 AM

      Washington só tem cuidado nessas fotos para não assustar teus sobrinhos 🙂

      Abraços

  2. 26/08/2011 às 10:37 AM

    Boa dia Chico Miranda.

    Gosto bastante de seu site, mas para ver as fotos grandes é um pouco incomodo.
    Por que vc não os coloca num slideshow.
    Veja aqui como fazê-lo no wordpress.com.
    http://en.support.wordpress.com/slideshows/
    Isso melhoraria muito a navegação em seus posts.
    Desculpe mandar essa sugestão por aqui, mas não ví um link para contato em outro lugar.
    Tudo de bom para você.

    • 26/08/2011 às 1:02 PM

      Gustavo

      Bom Dia. Tudo bem não há problema sobre dar sugestão aqui. Eu também coloco em Slides, mas também recebi algumas solicitações para colocar nesse formato. Vamos ver o que podemos fazer para agradar a todos. Abraços!

  3. Moriarty
    26/08/2011 às 4:55 PM

    Minha nossa ! quisera os Deuses que as 1ª e 2ª Guerras Mundiais, pudessem ser resolvidas como em alguns casos na antiguidade e Idade Média, escolhia-se o campeão de cada lado eles se batiam pela sua causa até a morte, o vencedor levava todas as vantagens e o perdedor aceitava a derrota com resignação, como vontade e Deus e parte de seu destino, como vidas e destruição poderiam ser poupadas por esse método.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: