Início > Guerras, História > Lebensborn – A Fábrica de Crianças Arianas do III Reich

Lebensborn – A Fábrica de Crianças Arianas do III Reich


Lebensborn foi introduzido na Alemanha nazista, em dezembro de 1935. Lebensborn fazia parte da crença nazista em uma “Raça Superior” – a criação de uma raça superior que dominaria a Europa como parte dos planos de Hitler para o “Reich de Mil Anos”. O sucesso inicial experimentado pelos alemães no início da Segunda Guerra Mundial deu ao regime a oportunidade de expandir a Lebensborn por toda Europa ocupada pelos nazistas.

A idéia de criar uma “Raça Superior” foi apoiado por Heinrich Himmler, chefe das SS e um dos mais próximos confidentes de Hitler. Lebensborn foi idéia de Himmler. Lebensborn – significa a “Fonte da Vida ‘- foi concebido para fornecer a Alemanha nazista por gerações durante décadas e séculos vindouros. Entre 1935 e 1939, Lebensborn ficou restrito apenas a Alemanha nazista.

Se uma mulher queria participar tinha que provar sua origem ariana e, apenas 40% daqueles que solicitaram a adesão Lebensborn, passavam no teste de pureza racial. Lebensborn permitiu que as mulheres engravidassem mesmo que não fossem casadas ​​e as clínicas Lebensborns também atuavam como centros de adoção buscando lares para crianças nascidas como resultado do projeto. Em 1940, cerca de 70% das mulheres envolvidas no Lebensborn não eram casadas.

No total, dez casas Lebensborn chegaram a operar na Alemanha nazista, sendo a primeira construída nos arredores de Munique.

No entanto, foi na Segunda Guerra Mundial que Himmler viu a oportunidade real para expandir o projeto Lebensborn. A SS invariavelmente seguia as forças armadas alemãs em uma zona de guerra, pois tinha uma variedade de papéis a cumprir, após uma área ter sido invadida. No entanto, outra missão que lhe é dado por Himmler era o de buscar crianças pequenas estrangeiras que se adequavam a ideia da supremacia ariana.

A Noruega foi ocupada em 1940. Este país especialmente interessava ​​Himmler por causa de seu passado Viking. Himmler tinha um grande interesse que os guerreiros Vikings produzissem combatentes de sucesso. Mulheres norueguesas foram encorajadas ou forçadas a relações sexuais com oficiais da SS, independentemente de terem sido casados ​​ou não e nove casas Lebensborn foram estabelecidas no país. Crianças nascidas como resultado de tais ligações foram criados na Alemanha pelos pais nazista. Eles foram batizados em uma cerimônia SS, onde seus pais adotivos juravam que a criança teria uma fidelidade ao longo da vida às crenças do nazismo. Outras clínicas Lebensborn foram estabelecidas na Europa Ocidental – França, Bélgica, Holanda, Dinamarca e Luxemburgo todos tinham uma casa de apoio.

É quase impossível saber o quanto as crianças foram retiradas dos países ocupados. Em 1946, foi estimado que mais de 250.000 foram enviadas à força para a Alemanha. Apenas 25 mil foram recuperados após a guerra e enviados de volta para suas famílias. Sabe-se que várias famílias alemãs se recusaram a devolver as crianças que tinham recebido dos centros Lebensborn. Em alguns casos, as próprias crianças se recusavam a voltar para sua família de origem. Também é sabido que milhares de crianças não “suficientemente bons” para ser o projeto foram simplesmente descartados.

Fonte: Der Spiegel

Anúncios
  1. Elmo
    01/10/2011 às 8:23 AM

    Frutos de mentes doentias! Sem mais.

  2. washington jadum de campos
    01/10/2011 às 8:39 PM

    Que besteira de insano, fábrica, quer dizer estupros obigatórios e de modo fazer com as mulheres usadas ficarem seus filhos, maldade pura. A doença de um doente de origem Judaica.

  3. 02/10/2011 às 5:19 PM

    Não sei ao certo se fazia parte deste programa nazista, mas havia até condecorações para mães que tivessem uma quantidade de filhos acima da média.

    Acho que a medalha era conhecida como Cruz da Mãe Alemã:

    No podcast do Jovem Nerd eles abordam rapidamente esse tema:
    http://jovemnerd.ig.com.br/nerdcast/nerdcast-257-o-dia-d/

    E mais um pouco na leitura de emails deste outro episódio do mesmo podcast:
    http://jovemnerd.ig.com.br/nerdcast/nerdcast-258-a-imprevisivel-guerra-dos-tronos/

  4. Sem Nome
    15/07/2013 às 9:22 PM

    Fico satisfeito em ler uma matéria tão bonita como esta.

  5. FERNANDO VASCONELOS
    23/12/2013 às 7:29 PM

    UMA VERDADEIRA MONSTRUOSIDADE POR PARTE DOS NAZIZTAS

  6. Frederico Nixo
    27/04/2015 às 10:26 AM

    é engraçado ver como as pessoas são colonizadas pela cultura “vencedora”.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: