Início > Guerras, História > Mais do que boas FOTOS; o registro de uma época!

Mais do que boas FOTOS; o registro de uma época!


Certo dia, minha filha de seis anos me fez a seguinte pergunta: “papai por que o senhor gosta tanto de guerra?”, na hora fiquei sem reação, já que a primeira coisa que me passou pela cabeça foi repreendê-la, mas rapidamente percebi que o mais importante era explicar a ela o PORQUÊ do estudo desse período. Então revolvi ter uma bela conversa com a minha futura historiadora…

Por outro lado, gostaria de falar para o público que acompanha o BLOG, pois naquele momento entendi que provavelmente há outras pessoas que podem pensar o mesmo: “Poxa como esse Chico Miranda gosta da Segunda Guerra!”, na verdade acho que o “gostar” não é tão simplista assim.

Primeiramente a Segunda Guerra foi destrutiva demais para pormenoriza-la no contexto História da Humanidade, principalmente porque o que conhecemos como mundo hoje, está diretamente relacionado com os impactos dos resultados, e os desdobramentos políticos e econômicos do pós-guerra, além de toda a composição geográfica do mundo. Por isso mesmo é necessário que compreendamos os motivos, circunstancias, razões e tudo que for possível sobre o conflito, para que haja o perfeito entendimento nosso mundo AGORA. E mais, subsidiar ideias para aprender quais os descaminhos que a humanidade tomou há 72 anos, e não repetirmos o flagelo generalizado a qual uma geração inteira foi sacrificada.

Sabe o que me deixa mais estarrecido, o fato de nossos jovens serem cobrados mais pelo conhecimento da organização social e política romana do século I, do que sobre os impactos do mundo com a Segunda Guerra. Não entendo como somos bombardeados com notícias sobre a Palestina e seu conflito territorial com o Estado de Israel, quando muitos nem mesmo sabem a origem do processo de criação do Estado Judeu. Analisar a História sob uma parcialidade contemporânea é um erro recorrente em nosso país.

Quando nos referimos a Segunda Guerra Mundial não vislumbramos outra coisa se não o terrível Hitler matando milhões de Judeus ou a bomba atômica destruindo as cidades de Hiroshima e Nagasaki. O sofrimento foi muito mais localizado e abrangente e a Segunda Guerra Mundial foi mais que isso. A Segunda Guerra Mundial moldou o mundo de tal maneira que boa parte dos processos e tecnologias que utilizamos hoje, foram criadas durante ou após o conflito, mas sempre pela imposição do resultado e que são utilizadas no nosso cotidiano. Isso foi bom? Claro, mas a um custo muito alto, e por ter sido alto, devemos sempre lembrar que gozamos de determinados privilégios que foram construídos sob as custas do medo, da morte, do sofrimento de uma geração inteira.

Por esses e outros motivos devemos entender exatamente o que foi esse conflito, para que nossos filhos não precisem sacrificar-se como nossos avós o fizeram, para que as futuras gerações não precisem de BLOGS para lembra-los sobre um passado tão importante, mas esquecido por muitos.

Quero encerrar com umas fotos que não retratem combates, mas pessoas.

 Os créditos das fotos são Alfred Palmer/OWI/LOC

Anúncios
  1. 02/11/2011 às 11:16 PM

    Francisco, a pergunta de sua menina me lembrou aquela que o filho do Marc Bloch fez para ele: “papai, para que serve a história?”. A resposta do M. Bloch foi o livro “Apologia da história”, que ele não conseguiu concluir justamente porque foi executado pelos alemães por ter feito parte da Resistência contra a ocupação. A sua resposta veio nesse post ótimo 😉

  2. Francisco Bendl
    03/11/2011 às 11:06 AM

    Chico, postei um comentário neste espaço pela manhã.
    Acredito que problemas técnicos o impediram de ser registrado, haja vista que não ficou à mostra com aquela frase: “aguardando moderação”.
    Eu poderia enviá-lo novamente, pois guardei uma cópia?

  3. Francisco Bendl
    03/11/2011 às 2:19 PM

    Já tentei enviá-lo, em vão.
    Aparece uma frase que diz: “Detectado. parece que este comentário já foi postado” ou algo parecido.
    Tu podes me enviar o teu e-mail direto para o meu?
    Quem sabe eu te mandando o meu comentário tu podes colocá-lo através de ti mesmo?
    Obrigado.

  4. 03/11/2011 às 6:15 PM

    Abaixo comentário enviado pelo xará e amigo Chico Bandl

    Chico, eu tenho postado meus humildes comentários neste teu blog verdadeiramente fantástico, dizendo sempre da incúria humana com relação a resolver seus problemas através de revoluções e guerras!

    A história do ser humano está ligada intimamente a esses acontecimentos. Talvez, em razão dos nossos conflitos internos, imaginamos que, também externamente, essa é a única solução ou estou dizendo bobagens?

    O ser humano está permanentemente em guerra consigo mesmo, e já não mais sabemos diferenciar realidade da fantasia, ilusão e imaginação.

    Não evoluímos mentalmente como progrediu a tecnologia, pois estamos reféns da cibernética; as nossas mentes ainda estão presas a preconceitos; diferenças sociais e religiosas geram revoltas; a política é sinônimo de corrupção; a Segunda Guerra foi o evento mais catastrófico da humanidade e, mesmo assim, já a deletamos de nossas lembranças, e os horrores que ela ocasionou, além do sofrimento e perdas imensuráveis.

    Atualmente a guerra continua, eu já dissera isso anteriormente.

    A busca pela sobrevivência, um trabalho, uma vaga na faculdade, uma companhia, amigos, sociabilização, essas questões que o homem precisa para viver, têm exigido muito de sua capacidade, da sua resistência, e de se manter conforme os ditames civilizados e sociais.

    Não temos mais tempo para refletir e pensar em nossas vidas; o ritmo que a vida nos impõe impede uma maior análise de nossos objetivos e realizações, em outras palavras, teria sido esta a vida que cada um gostaria de ter?

    Penso que a infelicidade inicia a partir do momento que não nos sentimos mais confortável conosco mesmos e com o destino dado à nossa existência.

    Então, somos obrigados a buscar refúgio, um local onde descansamos a mente e o corpo, razão pela qual e de modo a nos aliviar da carga diária que é sobreviver, encontramos na alienação o local adequado para não nos preocuparmos com o próximo e com as consequências de nossas atitudes.

    Estou me referindo, Chico, meu caro, que grande parcela da humanidade carece do mais comezinho atendimento; de um mínimo de atenção por parte daqueles que gozam de uma situação melhor; que vivem bem; que nasceram em países desenvolvidos e ricos ou que estejam econômica e financeiramente estáveis e que poderiam ajudar os demais necessitados.

    Mas estamos em um estágio de não nos incomodarmos com as necessidades alheias; de não querermos ser perturbados pelos problemas dos outros, isolando-nos dentro de nossas casas ou andando em nossos carros com os vidros fechados e com películas para que não nos vejam.

    Eu peço licença, meu amigo, para colocar um link neste comentário, e pedir para que as pessoas o vejam, e entendam o que eu quero dizer.

    Não é possível que homens, mulheres e crianças, cerca de 25.000, diariamente, morram de fome!

    Eu disse de fome, inegavelmente a morte mais humilhante e dolorosa, injusta e desumana possível!

    Esta é a guerra que me refiro e que me pergunto, por quê?!

    Qual é a razão pela qual vidas humanas padecem deste sofrimento atroz?

    De que adianta rezarmos, orarmos para um Deus se deixamos de lado outros de seus filhos, nossos irmãos?

    De que adiantam os avanços eletrônicos e tecnológicos, se milhões morrem anualmente pela falta de comida?

    De que adianta acreditarmos em Deus e clamamos pela sua misericórdia, se não temos compaixão pelos que precisam de um simples prato de comida?

    Por que a suntuosidade de templos, igrejas, sinagogas, mesquitas, em homenagem ao Todo-Poderoso, se não respeitamos e não consideramos a sua obra máxima, o ser humano, e deixamos com que morra da forma mais abjeta existente?

    Por que tanta importância à política e simplesmente viramos às costas ao sofrimento alheio?

    Foi exatamente assim na Segunda Guerra; o desprezo pela vida humana; o descaso por nós mesmos!

    http://www.cultureunplugged.com/play/1081/Chicken-a-la-Carte

    Esse vídeo acima foi contemplado com vários prêmios mundo afora.

    Ele tem a força de um soco na boca do estômago pela crueza de suas imagens, mas nos põe a refletir sobre as nossas omissões, eu diria irresponsabilidades.

    Esta é a guerra que poderíamos dar fim, que poderíamos exterminar.

    Por que não queremos o seu final?

  5. Rigoberto Júnior
    03/11/2011 às 8:45 PM

    Mestre Francisco Miranda, para os que tem o privilégio de viver(ou conviver) a 2ª Guerra tão de perto, escutando os nossos Heróis, é simples responder: Cada vez descobrimos algo que estava guardado nos corações e mentes do nossos Veteranos. No meu caso, escuto histórias desde que nascí e sempre tenho algo de novo para repassar aos amigos como você, pois estas histórias não contadas em livros que procuramos partilhar não são escritas mas ouvidas de pertinho. Você entende muito bem isto.
    Saudações FEBianas

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: