Início > Guerras, História > 1939 – O Ano Que Mudou o Século XX – Polônia e Outras Guerras

1939 – O Ano Que Mudou o Século XX – Polônia e Outras Guerras


Em Varsóvia

Adolf Hitler saúda as tropas da Wehrmacht alemã em Varsóvia, na Polônia, em 05 de outubro de 1939, depois da invasão alemã. Atrás Hitler estão, da esquerda para a direita: o coronel general Walther von Brauchitsch, o tenente-general Friedrich von Cochenhausen, o coronel general Gerd von Rundstedt, e o coronel general Wilhelm Keitel(AP Photo).

Enquanto isso...

Em 1939, Exército Imperial Japonês com unidades navais continuou a atacar e a avançar para a China e Mongólia. Após um curto contato com os defensores chineses,  japoneses entraram na cidade sem encontrar muita oposição.(AP Photo).

Outras Guerras

Na fronteira da Mongólia, os tanques japoneses se deslocam por vastas planícies da Mongólia, Manchúria, perto da fronteira da Mongólia, em 21 de julho de 1939. Tropas foram reforçadas pelos japoneses quando os combates com as forças soviéticas irrompeu de repente no setor. (AP Photo).

Mongólia

Uma unidade japonesa avança cautelosamente, nos últimos dois carros blindados soviéticos abandonados no combate ao longo da fronteira da Mongólia, em julho de 1939.(AP Photo).

Guerra de Inverno

Em 30 de novembro de 1939, após os ataques Soviéticos contra a Finlândia – eles estavam pedindo os finlandeses para dar-lhes concessões de terras e destruíssem fortificações ao longo da fronteira – a URSS invadiu a Finlândia. Cerca de 450.000 soldados soviéticos cruzaram a fronteira, iniciando uma batalha, brutal sob campos congelados que seria chamada de Guerra de Inverno . Nesta imagem, um membro de um destacamento finlandês antiaérea, vestindo seu uniforme de camuflagem branco, trabalha com um localizador de alcance em 28 de dezembro de 1939, durante um ataque aéreo russo.(AP Photo).

Em chamas

Uma casa queima depois de ser atingida por uma bomba soviética durante um ataque aéreo russo em Turku, uma cidade portuária no sudoeste da Finlândia, em 27 de dezembro de 1939.(AP Photo).

Ataque aéreo

Em um congelado e arborizada frente de batalha “em algum lugar na Finlândia,” dispersão de tropas finlandesas para abrigar-se de aviões soviéticos que sobrevoam em um ataque aéreo em 19 de janeiro de 1940.(AP Photo).

Renas

Os soldados finlandeses, membros de um dos batalhões de esqui que lutaram contra as tropas invasoras russas, marcha com suas renas em 28 de março de 1940. (Nota: esta foto mostra a evidência de ter sido retocada à mão, provavelmente, em um esforço para aumentar a nitidez e contraste)(AP Photo).

Despojos

Despojos de guerra – capturado tanques soviéticos, ao longo de uma estrada em uma floresta coberta de neve em 17 de janeiro de 1940. Tropas finlandesas tinham acabado de vencer uma divisão Soviética. (LOC).

Voluntário Camuflado

Um voluntário sueco, “em algum lugar na Finlândia do Norte,” se protege do frio ártico abaixo de zero com uma máscara sobre o rosto em 20 de fevereiro de 1940, quando em serviço contra os invasores russos.(AP Photo).

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios
  1. Mauro M.
    05/01/2012 às 2:40 AM

    Os Responsáveis pela Guerra! (Churchill)

    – Existem acontecimentos sobre a II Guerra mundial difíceis de explicar, quando tentamos não nos soam convincentes na lógica, e tudo muitas vezes termina parecendo um jogo de interesses muito mal orquestrado.

    – Mas no meu entender esse jogo tem (pelo menos no inicio) dois protagonistas que não podem ser desconsiderados, Churchill e Stalin, mais que Hitler na condução dos acontecimentos que deram inicio a segunda guerra mundial, afinal todos os movimentos de Hitler podiam ser previstos sem esforço algum, ele estava reocupando os territórios perdidos para Versalhes, a falta de reação aliada não foi fraqueza ou medo, mas sim a admissão de que ele estava moralmente certo.

    – O passo seguinte era naturalmente a Polônia, também criação de Versalhes, que extinguiu um território Alemão que deu origem a própria Alemanha que conhecemos hoje, a Prússia, a reivindicação de Hitler comparado ao território perdido era ínfima, um pequeno corredor que pudesse ligar a Alemanha à cidade Alemã de Danzig, os Ingleses sob Loyd George estavam receosos, mas dispostos a fazer mais essa concessão a favor da manutenção da paz, pois não via sentido em lutar por território que já havia pertencido a Alemanha e que moralmente todos sabiam que ainda pertencia, Hitler não reivindicava o restabelecimento da Prússia, mas apenas um corredor insignificante que ligasse a Alemanha a Danzig, a não ser os receios, ninguém nem mesmo os Poloneses podiam apresentar objeções razoáveis a isso.

    -Mas eis que surge esse senhor Churchill, se apresentando como dono da verdade, visionário e condutor dos povos, incitou a França a abandonar sua atitude cautelosa, aconselhando-a a adotar uma atitude agressiva em relação à Alemanha, prometendo uma aliança, comprometendo seu pais nas incertezas do perigo de uma guerra que ele péssimo em julgar acharia que ganharia fácil, transformou os temerosos Poloneses em Leões com suas promessas de ajuda militar ao ponto deles chegarem a proferir a bravata de que em uma semana estariam marchando pelas ruas de Berlim, sem que eles atentassem para o fato de que geograficamente não poderiam receber ajuda.

    – Veio a guerra, os Alemães atacaram, e quando o pesadelo os alcançou eles devem ter ficado pensativos, devem ter pensado e a ajuda Franco-Inglesa ? Porque os Ingleses e Franceses não fizeram desembarques anfíbios ou enviaram tropas aerotransportadas ou porque simplesmente não tentaram bombardear as tropas Alemãs, uma analise militar coerente lhes provaria ser isto muito dispendioso para os aliados.

    – Contudo nada poderia explicar aos Poloneses o absurdo daqueles que por tratado haviam prometido apoio militar contra a Alemanha permanecerem totalmente inativos nas fronteiras ocidentais Alemãs, vendo a Polônia sendo esmagada brutalmente em quatro semanas, permitiram a destruição da Polônia e a sua própria, pois a Blitzkrieg fazia sua estreia na Polônia e ao contrário do que a maioria pensa não foi uma boa estreia, muitas coisas não saíram conforme os planos da Wermacht.

    – Equipamentos falharam, a tática mostrou algumas deficiências, o treinamento dos soldados alemães mostrou carência de complementos, (Mas do que os Landser os soldados das SS mostraram-se inadequados e sua ousadia em combate só lhes conferiu as maiores baixas) a iniciação dos Alemães não foi boa, mas a covardia aliada não lhes permitiu tirar vantagem disso, mas erros do Sr. Churchill, que, prática comum desse cavalheiro, fazia política militar sem consultar os representantes dos exércitos, pois se o fizesse ouviria deles que exércitos atrelados a uma estratégia de guerra de atrito não poderiam pensar em ofensivas rápidas, careciam de muito tempo para se movimentar, e mantinham-se atrelados as suas logísticas o oposto da Blitzkrieg, ele talvez conseguisse ser mais prudente se é que suas ambições lhe permitiriam.

    – Antes do ataque a Polônia as forças combinadas de França e Inglaterra poderiam infligir uma derrota a Alemanha na frente ocidental (Derrota levando em consideração as limitações da guerra de atrito praticada por eles), ou até pela superioridade numérica da URSS esta impondo um recuo Alemão para as suas fronteiras, a desmoralização e consequente queda de Hitler.

    – Mas após a derrota Polonesa a aprendizagem e aperfeiçoamento da máquina militar Alemã ajustando a cooperação entre as forças aéreas, blindadas e de infantaria, introduzindo inovações no treinamento do pessoal Alemão, e completando-os como mestres de manobras dentro do conceito Blitzkrieg, a oportunidade passou e a superioridade mudou de lado a tal ponto que eles tornaram-se ate mesmo inadequados para o conflito.

    – Tentando única e exclusivamente manter a vantagem da manutenção do vasto império colonial Inglês, à custa de uma França amedrontada, pela própria covardia das injustiças a que se entregou em Versalhes, e vendo cada vez mais chegar a hora do ajuste de contas exigido pela Alemanha, os Franceses iludiram-se pelas promessas de Churchill, seus erros são profundos, Stalin de inicio ofereceu ao Inglês orgulhoso e conspirador uma aliança com os dois aliados, o que foi desdenhado por Churchill, em detrimento de uma aliança com a Polônia.

    – Assim o Inglês teve de observar calado a agressão Soviética a Finlândia a pretexto desta ajustar suas fronteiras, e a invasão conjunta da Alemanha e URSS a Polônia, e mesmo tendo um pacto de ajuda mutua que garantia a integridade do território Polonês de agressão externa sem discriminar nesse pacto qual agressor, teve de se submeter ao vexame de declarar guerra a Alemanha mas não a URSS e no fim da guerra apesar de todas as garantias sobre a independência da Polônia não pode cumpri-La, sendo que foi a garantia da independência da Polônia o seu pretexto para deflagrar a II guerra mundial, pois foram a Inglaterra e França que declararam guerra contra a Alemanha.

    – Não é a toa que nos livros Didáticos escolares Poloneses Churchill é um personagem execrado pelo menos segundo entrevista que vi de um Polonês.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: