Início > Mais Assuntos > Mulheres na Seguda Guerra – O Fim do Sexo Frágil – Parte II

Mulheres na Seguda Guerra – O Fim do Sexo Frágil – Parte II


Continuação das obsevações e do envolvimento das mulheres na Segunda Guerra.

Anúncios
Categorias:Mais Assuntos
  1. Francisco Bendl
    14/12/2011 às 8:24 PM

    Certa feita escrevi um texto que sairia em um livro que eu fizera, mas que jamais foi publicado, onde eu elogiava a mulher, justamente tomando-a como exemplo de fortaleza, dedicação, carinho e amor.
    Episódios como a Segunda Guerra demonstram cabalmente a impressionante resistência feminina, seu poder extraordinário de se adptar conforme as condições que lhe são dadas, a fantástica criatividade que possui e seu magnetismo pessoal.
    Só Deus sabe o que elas fizeram como enfermeiras; ajudando médicos; transportando feridos; trabalhando em fábricas de armamentos e munições; na intendência; comunicações; na defesa das cidades enquanto seus maridos e filhos lutavam no front de batalha!
    E como sofriam quando recebiam a informação da perda de um ente querido!
    A frase não é minha, mas as duas maiores vítimas na guerra são justamente as mulheres na condição de mães e a verdade!
    Lamento que elas não são homenageadas como deveriam.
    A cultura machista que impera enaltece o herói, jamais a heroína; engrandece a figura masculina, e esquece a personagem feminina, em muitas ocasiões tão ou mais importante que o homem.
    Elogiável esta lembrança sobre as mulheres, Chico.
    Parabéns pelo assunto postado.
    Não podemos deixar de registrar a nossa admiração e reconhecimento pelo que fizeram e fazem na vida de qualquer homem, principalmente quando são postas à prova.
    Então se agigantam; crescem, surgem como poderosas estruturas emocionais e físicas, transmitindo aos que estão ao seu redor a esperança, o aconchego, o calor incomparável de seu regaço, o abraço tranquilizador e o amor imensurável que dispõem.
    Não foi por nada, meu irmão nordestino, que o Deus pediu que uma simples mulher, ser humano mortal, frágil, fosse a mãe de seu filho!
    Queres prova maior de reconhecimento que esse?

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: