Arquivo

Archive for 08/01/2012

Fallschirmjägers – Os Paraquedistas Alemães!

Antes da eclosão da guerra, os soviéticos realizaram uma demonstração de manobras aerotransportadas para uma delegação de oficiais alemães, incluindo Herman Göering. Göering ficou tão impressionado com o potencial das tropas aerotransportadas que imediatamente ordenou a formação de uma força com essa especialização na Alemanha. Na primavera de 1935 (março-abril), Göring transformou a Landespolizei Göring em um regimento aerotransportado, dando-lhe a designação de Regimento Göring (RGG). Em 01 de abril de 1935 a unidade foi incorporada à recém-formada Luftwaffe. Göring também ordenou que um grupo de voluntários realizassem testes e treinamento de paraquedas. Estes voluntários formariam um núcleo Fallschirmschützen Bataillon (“batalhão de soldados paraquedistas”), que seria uma futura Fallschirmtruppe. Em janeiro de 1936, 600 homens e oficiais formaram o primeiro RG Jager Batalhão /, e a Unidade de Engenheiros RG 15. Oficialmente inaugurado em 29 de janeiro de 1936 com uma ordem de chamada de recrutas para o treinamento com paraquedas na Escola de Treinamento localizado 96 km a oeste de Berlim. A escola foi aberta com curso de salto para formação de uma tropa de paraquedista e recebiam militares da ativa e da reserva da Luftwaffe. Sargentos, oficiais e praças da Luftwaffe tinham que concluir com êxito seis saltos a fim de receber o emblema Parachutist Luftwaffe.

Durante a guerra, a Luftwaffe formou uma série de unidades Fallschirmjäger. A Luftwaffe construiu uma divisão com três regimentos Fallschirmjäger mais unidades de apoio e meios aéreos, conhecida como 7ª Divisão Flieger.

Unidades Fallschirmjäger participaram da primeira invasão aérea sobre a Dinamarca em 09 de abril de 1940. Na madrugada da Operação Weserübung, eles atacaram e tomaram o controle de Base Aérea de Aalborg, que desempenhou um papel fundamental atuando como uma estação de reabastecimento para a Luftwaffe na subsequente invasão da Noruega. Atacaram e tomaram as pontes ao redor de Aalborg. Outros ataques aéreos durante a Batalha da Dinamarca também foram realizadas, incluindo uma fortaleza na ilha Masnedø.

A próxima operação da Fallschirmjäger foram os ataques aéreos durante a Campanha da Noruega, pela primeira vez durante os estágios iniciais da invasão, quando os regimentos Fallschirmjäger capturaram a importante base aérea de Sola, Os Fallschirmjägers também encontraram sua primeira derrota na Noruega, quando uma companhia foi lançada sobre a vila e o entroncamento ferroviário de Dombås em 14 de abril de 1940 e foi quase totalmente destruída pelo Exército norueguês durante uma batalha de cinco dias.

Mais tarde na guerra, os ativos da 7ª Divisão Fallschirmjäger foram reorganizadas e usadas como o núcleo de uma nova série de divisões de infantaria de elite da Luftwaffe, numerados em uma série que começa com a 1ª Divisão Fallschirmjäger. Estas formações foram organizadas e equipadas como divisões de infantaria motorizadas, e muitas vezes, desempenhando um papel de “bombeiros” na frente ocidental, atuando em pontos críticos da frente. Seus militares eram frequentemente encontrados no campo de batalha como Kampfgruppen, ou unidade de pronto-emprego, destacada de uma divisão ou organizados a partir de diversos ativos disponíveis. De acordo com a prática padrão alemão, essas unidades eram conhecidas pelos nomes dos seus comandantes.

Depois de meados de 1944, os Fallschirmjägers não eram mais treinados como paraquedistas, devido às realidades da situação estratégica, mas manteve o Fallschirmjäger honorífico. Perto do fim da guerra, as unidades Fallschirmjägers não eram mais que uma dúzia.

Assalto a Eben Emael, a invasão de Creta
Em 00.43 horas no dia 10 de maio de 1940, sob o codinome de Granite Group, 42 planadores deixaram suas bases em Colônia para começar o primeiro grande ataque aéreo sobre os países baixos como parte da operação Gelb alemão. Os planadores carregando 493 tropas Fallschirmjäger foram designados para tomar e manter as pontes em Veldwezelt, Vroenhoven e Canne na Bélgica e na fortaleza de Eben-Emael.
Esta fortaleza era supostamente inexpugnável, porém com o elemento surpresa da operação, o planador, deu o desembarque e precisão, chegando diretamente no topo do forte pegando os defensores completamente de surpresa. Nove planadores realizaram um desembarque de tropas rápido alcançando seus objetivos e conquistando e destruindo bunkers de artilharia belga usando uma mistura de carga explosiva carregados em mochilas e cargas de demolição.
Os defensores da Bélgica foram dominados e os Fallschirmjägers rapidamente alcançaram todos seus objetivos contabilizando apenas 06 mortos e 19 feridos. Os belgas sofreram 60 mortos e 40 feridos com mais de 1000 prisioneiros.

O exército alemão decidiu invadir Creta para consolidar a estratégica no Mediterrâneo. Assaltos anfíbios foram descartados, já que os alemães não tinham superioridade nos mares na época, então um plano foi elaborado por um ataque direto utilizando tropas aerotransportadas na ilha. Infelizmente para os alemães, os Aliados tinham quebrado seus códigos e foram avisados da invasão planejada até os menores detalhes.

A invasão começou às 08h00min no dia 20 maio de 1941 com pequenos saltos de tropas aerotransportadas ao redor do campo de aviação em Maleme. A espera batalhões da Nova Zelândia atingiam as tropas antes deles caíram em seus paraquedas e interceptando os planadores. Na primeira onda de Fallschirmjägers perderam 400 dos 600 homens que saltaram. Os sobreviventes tomando posições no “vale da prisão”. Os civis de Creta começaram a roubarem dos alemães mortos suas armas e as caixas de armas e suprimento de apoio, dando assistência aos Aliados.

Mais tarde outros desembarques em Rethimnon às 04h15min e outro em Heraklion às 05h30min. Como antes, os defensores Aliados estavam esperando por eles e infligiu pesadas baixas.

Os alemães conseguiram romper o cordão de defesa ao redor de Heraklion, no primeiro dia, apreendendo as barracas gregas na borda oeste da cidade e capturaram as docas, os gregos contra-atacaram ambos os pontos e recapturaram. No dia seguinte, Heraklion foi fortemente bombardeada. As unidades foram gregas foram atacadas e assumiram uma posição defensiva na estrada de Knossos. Quando a noite caiu, nenhum dos objetivos alemão tinha sido garantido.

Na noite de 20 de Maio, os alemães lentamente avançavam contra os neozelandeses do Morro conhecido por 107, que dava para o aeródromo. Os comandantes alemães na ilha de Creta decidiram jogar tudo para o setor Maleme no dia seguinte. Depois de várias tentativas das tropas Fallschirmjäger, conseguiram tomar o morro e isso foi a tábua de salvação, permitindo que aviões de transporte começassem a operar no aeródromo em Maleme, embora este estivesse sob pesada fogo de artilharia.

%d blogueiros gostam disto: