Início > Guerras, História > O Assassinato da Família Romanov – Uma dos Fatos Mais Tristes do Sec. XX

O Assassinato da Família Romanov – Uma dos Fatos Mais Tristes do Sec. XX


 O simpático Sr. Edson, sogro da minha cunhada Cláudia Rocha, ao saber do meu interesse por História me fez um pedido especial: fornecer mais informações sobre os Czares, que é um dos assuntos que mais lhe chama a atenção. Depois de breve reflexão sobre a Família Romanov, percebi o quanto essa história é importante para o século XX, e quanto a Abdicação de Nicolau II forjou o cenário para conceber o mundo entre guerras. Portanto segue um pouco de uma das Histórias mais tristes e que faz parte do imaginário popular há mais de 90 anos.

 o texto é parte de extenso estudo sobre Nicolau II realizada por Sara Sousa do blog – romanov.blogs.sapo.pt

_____________________

No dia 22 de Março de 1917, Nicolau, já deposto, foi reunido com a sua família no Palácio de Alexandre em Czarskoe Selo. Toda a família e todos os criados que os desejassem acompanhar foram condenados a prisão domiciliária pelo Governo Provisório. Rodeados pelos seus guardas, confinados aos seus aposentos, a família Imperial foi rudemente inspeccionada na primeira noite em que Nicolau chegou. O ex-czar permaneceu calmo e digno e até insistiu em rever as lições dos filhos consigo como tutor em História e Geografia. Através dos jornais, ficou interessado no desenvolvimento da guerra, mas não podia evitar ler também a forma alegre e luxuosa como a imprensa contava histórias sobre Rasputine e a Imperatriz através das “confissões” de antigos servos e das histórias sobre as vidas privadas dos proclamados “amantes” das suas quatro filhas.

Em Agosto de 1917, o governo de Kerensky evacuou a família para Tobolsk, nos Montes Urais, alegando estar a protegê-los do crescente perigo que uma nova revolução lhes poderia trazer. Lá, os Romanov viveram com grande conforto.
Depois de os bolcheviques chegarem ao poder em Outubro de 1917, as condições da sua detenção passaram a ser mais rigorosas e várias vozes se levantavam a favor de levar Nicolau a julgamento. O ex-czar seguiu os acontecimentos com interesse, sem, no entanto, se alarmar excessivamente. Ele continuou a subestimar a importância de Lenine, mas já começava a compreender que a sua abdicação tinham feito mais mal que bem à Rússia.  Entretanto ele a família ocupavam o seu tempo a tentar manter-se quentes numa região onde as temperaturas chegavam a atingir os 55.6 graus negativos. O domínio soviético significava agora restrições cada vez mais ridículas. O czar estava proibido de usar epaulettes e os sentinelas desenhavam desenhos rudes nas paredes para ofender as filhas. No dia 1 de Março de 1918, a família foi obrigada a comer apenas o que sobrava dos soldados que tinham de partilhar entre si e os 10 servos que continuavam com eles.

medida que a contra-revolução do Movimento Branco ganhava força, levando a uma guerra civil de grande escala no Verão, Nicolau, Alexandra e a sua filha Maria foram levados em Abril para Ekaterinburgo. Alexis estava demasiado doente para acompanhar os seus pais e permaneceu  por mais um mês em Tobolsk com as suas irmãs Olga, Tatiana e Anastasia. A família foi presa com os poucos servos que restavam na Casa Ipatiev (conhecida como a “Casa Para Fins Especiais”), um posto de comando bolchevique fortemente militarizado.

Nicolau, Alexandra, os seus filhos, o médico e os três servos que restavam, foram acordados e levados para a cave da casa onde seriam executados às 2:30 da manhã do dia 18 de Julho de 1917. Um anúncio oficial apareceu na imprensa nacional dois dias depois, informando que o monarca tinha sido executado por ordem do Presidium do Soviete da Região Ural. Agora é do conhecimento geral que Lenine tinha ordenado pessoalmente a execução de toda a família. Apesar de vários terem colocado a responsabilidade da decisão naquele Soviete, o diário de Trotsky é bem claro quanto ao facto de o assassinato ter decorrido sob a ordem de Lenine:
“A minha outra visita a Moscovo decorreu depois da queda de Ekaterinburgo. Durante uma conversa com o Sverdlov, perguntei-lhe de passagem, “Ah sim, e onde está o czar?” “Está por todo o lado,” respondeu ele. “Ele foi morto.” “E onde está a família?” “A família morreu com ele.” “Todos eles?”, perguntei eu, pelos vistos um pouco surpreendido. “Eles todos”, replicou o Sverlov. “O que tem?” Ele estava à espera de ver a minha reacção. Eu não disse nada. “E quem tomou essa decisão?”, perguntei. “Decidimos aqui. O Ilyich (Lenine) achou que não os devíamos deixar vivos, especialmente com os Brancos tão perto, tendo em conta as circunstâncias.”
Os corpos do czar e da sua família seriam apenas descobertos em 1979 por dois investigadores russos e apenas veriam a luz do dia após a queda do regime comunista 10 anos mais tarde. O funeral seria realizado no dia 18 de Julho de 1998, 80 anos depois da execução ainda sem os corpos de Alexis e Maria.

Nicolau II morreu com 50 anos de idade, afirmando no dia do seu aniversário, dois meses antes que estava surpreendido por ter vivido tanto tempo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios
  1. Francisco Bendl
    18/01/2012 às 2:02 PM

    Episódios históricos como esse assassinato, demonstram que seu autor ou autores, perderam por completo as razões pelas quais lutaram, que apearam do poder um tirano, sem dúvida!
    A execução da família imperial soviética, a mando de Lênin, mostra uma reação descabida contra um reinado que se não se importou com o povo, deveria ter sido julgado, talvez até condenado à prisão perpétua Nicolau II e sua esposa, a Alexandra.
    Menos os filhos, mortos covardemente pelos executores deste bárbaro crime, que deveriam, então, ser extraditados.
    Neste caso infeliz, os erros cometidos pelo czar não seriam compensados pelo erro de matá-lo junto com a sua família.
    Mas, exatamente desta forma, o comunismo passou a ser expandido, à base de assassinatos, polícias secretas, delações, confisco de bens, e, no lugar dos nobres, uma casta política proletária, que se manteria no regime durante décadas através da violência, genocídios, campos de prisioneiros (Gulags) na Sibéria, desaparecimentos.
    Aliás, qualquer assassinato a sangue frio e, ainda por cima, de crianças, causa asco, é repulsivo e injustificável!
    Erros como esses, imperdoáveis, constituem a história do comunismo, sua ânsia pelo poder, a violência empregada contra as pessoas que dele discordam, a maneira simplória como resolvem tais impasses.
    Fuzilamento!
    E tem quem ainda pertença a partidos comunistas no Brasil, pelo amor de Deus!!!

    • 25/10/2012 às 11:21 AM

      Meus parabens Sr., Francisco. Seu apontamento é rico em justiça e coerência. Davi

    • Adilson
      06/09/2016 às 8:38 PM

      Incrível tem pensamento pequeno, então porque durante uma guerra civil comunistas assassinaram um ditador e sua família então todos os comunistas do mundo são culpados??
      Da mesma maneira devo condenar todo o exercito brasileiro porque durante a guerra contra o Paraguai assassinaram soldados doentes em um hospital colocando fogo nele ??

      Ou mataram mulheres e crianças na revolta de canudos ??

      Ou devo condenar todos os militares porque eles matavam as mulheres gravidas e roubavam seus filhos na ditadura argentina ??

      Tenho milhares de exemplos iguais a seu pensamento pequeno e infantil.

  2. Any
    11/12/2012 às 12:47 PM

    É triste o fim da família Romanov, concordo plenamente com vcFrancisco!!
    Lutar por um pais melhor não é assassinar covardemente, pelo contrário, eles fizeram pior!!
    Teriam que ser justos, mostrar para Nicolau como eles poderiam fazer um pais melhor, mas infelizmente a maldade no coração do homem foi maior…imagine o atirador apontando a arma para aquelas crianças?Ter coragem de puxar o gatilho tendo de encarar seus olhos e carregar este fardo por toda vida??Ah mas pra eles isso não deve ter sido problema.

  3. Joaes Alves
    10/02/2013 às 4:06 PM

    A execuçao da familia Romanov em Ekaterimburg,foi um verdadeiro crime.O ódio satânico que moveu os comunistas para praticarem tamanha crueldade,é algo sem escrúpulos nem lógica.
    A sociedade justa e igualitária pregada pelos socialistas era uma verdadeira farça,o que se passou realmente foi uma ditadura de partido único,que perseguia,prendia,torturava e assassinava os seus opositores,essa experiência comunista foi um verdadeiro fracasso em diversos países,chegando ao seu fim em 1991.

  4. Aldemir
    26/01/2014 às 11:34 AM

    O plano inicial era julgar e condenar a família imperial,mas com os avanços do “exército branco” para salva-los e restituir o Tsar ao poder ficou evidente para o partido que o caso Romanov precisava de uma “solução final”.
    Yakov Yurovsky,o chefe da guarda da casa Ipatiev,havia sofrido com o antissemitismo da Russia imperial,ele odiava Nicolau ll e sua família mais do que tudo em sua vida,não havia ninguém melhor para executar as ordens do partido e manter a família real aprisionada.
    Sempre que governos caem pelo poder popular,sempre que revoluções populares vencem a situação do país tende sempre a piorar nos primeiros anos,o ódio do povo é algo quase sempre brutal.
    Creio que a punição do povo e do partido soviético foi ser governado por um tirano extremamente paranoico como Joseph Stalin,e sofrer massacres brutais no cerco alemão a “stalingrado”,durante a segunda guerra mundial.
    Porque crimes sangrentos têm,tantas vezes,punições tão ou ainda mais sangrentas do que o próprio crime em questão?
    Meditem…

  5. Cams Tavares
    25/02/2014 às 5:32 PM

    Desde o ínicio era o que Lenin queria , estava na cara a raiva que ele tinha pelo Czar e pelos familiares do mesmo ! Muito triste.

  6. A estudiante
    22/04/2015 às 12:04 AM

    Ótimo trabalho de escola :v

  7. Erica R Brito
    26/04/2015 às 10:05 PM

    só atento para um erro de digitação sobre a morte da familia Romanov…. o fato se deu em julho de 1918 em não em 1917…. é bom corrigir pois assim como está gera contradições e confusões tirando completamente a credibilidade do texto.

  8. Ama
    31/07/2015 às 2:20 PM

    Às vezes, os novos líderes de uma revolução adotam medidas drásticas, Tentar cortar o mal pela raiz, evitando que os herdeiros tomem vingança num momento futuro. Mas a opressão que os czares devem ter imposto ao povo, certamente foi responsável pela morte de outros milhares.

    • 03/08/2015 às 5:51 PM

      Esse tipo de argumento me assusta. Como podemos justificar a morte de inocentes baseada em considerações políticas? Se esse mesmo argumento fosse válido, o que deveria ser feito a família de Stálin que cometeu atrocidades muito maiores de que toda a dinastia de Czeres reunidas? Meu Deus quanta ignorância.

  9. Vesushka Karrêra
    02/09/2015 às 12:45 PM

    Cuidado!
    O PT/Foro de São Paulo pretende perpetuar no poder.

  10. Kristyan
    30/12/2015 às 2:28 AM

    Que opressão minha gente, antes de falarem bobagens pesquisem sobre as nações da época e o império russo, por Deus…As desigualdades que existiam eram em todas as nações, até mesmo por causa da falta de recursos tecnológicos! Se quisessem fazer algo realmente bom, fazer uma conversa, uma revolução popular e instalar uma Monarquia Parlamentar, que até hoje vem se provando o regime mais eficiente. Acham que as monarquias, mesmo absolutistas eram como as dos filmes e game of thrones? Por favor, já havia passado o iluminismo, a mentalidade era outra.

  11. 09/03/2017 às 9:24 PM

    Matar os Romanov foi uma ação cruel, mas o povo na Russia do Czar vivia numa miséria terrível, não tinham nenhuma garantia, eram explorados naquelas fundições até a morte. Era uma vida muito cruel. Enquanto a corte desfrutava de luxo, bem estar e todas as regalias. Matá-los da forma em que o fizeram foi ato de barbárie.

    • Tiago Carpes do Nascimento
      17/07/2017 às 9:39 AM

      Depois da revolução a unica mudança foi a substituição da nobreza pela burocracia do pcus. A miséria do povo pouco se alterou.

  12. Artur FerreiraSlujalkovsky
    26/04/2017 às 3:06 PM

    O meu pai perdeu toda a sua família durante a revolução comunista na Russia 1917, quando ainda era um adolescente. Dedicou toda a sua vida para lutar contra o avanço do comunismo no mundo. inclusive, lutou na guerra das creias. Ele sonhava em retornar a sua amada russia. mas, infelizmente, não suportou a ferrenha perseguição da ex KGB que tinha como missão acabar com o único sobrevivente do terrível massacre . infelizmente, 1975, nesse país com ajuda dos militares corruptos ele foi acuado e morto e seu corpo foi levado provavelmente de volta ao lugar onde sua amada família descansam em paz.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: