Arquivo

Archive for 25/02/2012

USS Indianapolis (CA-35) – Uma das História mais Tristes da Segunda Guerra – Parte I

Evidentemente um pedido de um grande amigo a gente não deixa passar em branco. Joaquim Fernandes me passou um email para uma publicação sobre uma das histórias mais sofríveis da Segunda Guerra Mundial, a história do USS Indianapolis (CA-35). Resolvemos realizar um especial sobre esse episódio, com todos os desdobramentos desse triste acontecimento.

_________

O cruzador pesado Indianapolis partiu do Porto de San Francisco logo após o amanhecer em 16 de julho de 1945 envolto sob forte sigilo. Em seus compartimentos carregava a bomba atômica que três semanas mais tarde seria lançada sobre a cidade japonesa de Hiroshima. A embarcação seguiu, sem escolta, para a ilha de Tinian, onde descarregou a sua carga letal em 26 de julho. Com sua missão cumprida, o Indianapolis, em seguida, começou uma jornada para o inferno que iria terminar com o pior desastre naval da história dos EUA.

 De Tinian, partiu para a ilha de Guam e de lá foi enviada ao Golfo de Leyte, nas Filipinas, para se preparar para a invasão do Japão. Viajando sem escolta, sua viagem iria levá-la através de um oceano infestado de submarinos japoneses e tubarões.

Em poucos minutos após a meia-noite do dia 30 de julho, dois torpedos japoneses atingiram a embarcação, causando uma explosão que partiu o navio em dois. Levou apenas 12 minutos para o navio a proa afundar. De sua tripulação de 1.196, estimasse que pelo menos 900 sobreviveram à explosão – mas o pior ainda estava por vir.

 Alguns sobreviventes na água foram capazes de atingir botes ou detritos para se agarrar. Muitos usavam coletes salva-vidas que oferecia flutuabilidade mínima. Muitos, no entanto, não tinham nem botes, nem colete salva-vidas e foram obrigados a nadar continuamente para sobreviver, encontrando alívio somente quando encontravam um colete salva-vidas disponíveis nos corpos dos marinheiros mortos. Os tubarões começaram a atacar assim que o sol nasceu e continuou seu ataque durante todo o calvário.

 O alarme não foi acionado quando o navio não conseguiu chegar ao seu destino. Não foram enviados forças de resgate para encontrar o navio – seu afundamento passou despercebido. Durante quatro dias, um número cada vez menor de sobreviventes lutavam uma batalha de vida e morte. Então, a sorte interveio. Um avião de reconhecimento da Marinha em patrulha de rotina encontrou os sobreviventes e transmitiu a posição. Navios próximos correram para o local e começaram a resgatar os marinheiros. A contagem feita após a conclusão do resgate revelou que apenas 317 dos 900 originalmente estimado que sobreviveram ao afundando do navio conseguiram ser resgatados.

Sobreviventes encontrados esgotados

No estaleiro USS Indianapolis (CA-35)

 

Sobreviventes

 

Comoção nos Estados Unidos

 

 

A Wehrmacht em Cores

 A força de um dos Exércitos mais temidos de todos os tempos. Independente da utilização do Exército Alemão, não podemos desqualificar a força combativa desse Exército, que ficou muito tempo limitado a quadros reduzidos por imposição das nações vencedoras da Grande Guerra e que, posteriormente, foi reestruturado e adotou uma doutrina de combate própria e sem precedentes.

Uma das Fotos Mais Famosas da Segunda Guerra!

Um das fotos mais famosas feita por fotógrafos russos durante a 2ª Guerra Mundial. Foi feito nas ruínas da cidade de Stalingrado – o local onde as mais pesadas batalhas ocorreram. Alguns historiadores dizem que, após as batalhas no centro de Stalingrado a invasão nazista da Rússia perdeu força.  O próprio monumento retrata crianças russas que dançam em torno de um crocodilo, uma visão irreal dos vestígios de balas sobre as esculturas e as ruínas em chamas no fundo.
Mais tarde, depois da guerra o monumento foi reconstruído, antes mesmo dos próprios edifícios circundantes.

A Dança das Crianças

 

Uma Cidade Destruida

 

Festa de Recuperação do Monumento

 

O Monumento foi Reinaugurado em 1945

 

Antes das Edificações

 

%d blogueiros gostam disto: