Início > Guerras, História > A Wehrmacht em Cores

A Wehrmacht em Cores


 A força de um dos Exércitos mais temidos de todos os tempos. Independente da utilização do Exército Alemão, não podemos desqualificar a força combativa desse Exército, que ficou muito tempo limitado a quadros reduzidos por imposição das nações vencedoras da Grande Guerra e que, posteriormente, foi reestruturado e adotou uma doutrina de combate própria e sem precedentes.

Anúncios
  1. Mauro Moriarty
    24/04/2012 às 5:13 AM

    Wermacht e o soldado Alemão (Landser) considerações importantes.

    Wermacht

    O exercito Alemão na Segunda guerra mundial, era, sem duvida um dos mais eficientes que o mundo moderno já tinha visto, conduzido de forma extraordinária por comandantes habilidosos como Guderian, Rommel, Model e Von Manstein, contabilizou sucessivas vitorias, nos primeiros anos da guerra. O exercito era profissional e muito combativo, seu treinamento garantia que todo soldado raciocinasse de forma tática, com resultados muito acima da expectativa.

    As táticas muito estudadas e experimentadas em treinamentos árduos, capacitavam os soldados a derrotar tropas inimigas numericamente superiores e alcançar objetivos quase impossível para soldados de outros exércitos.

    Por dois anos a combinação de tática e treinamento levaria o exercito Alemão da Polônia a França e até as margens do rio Volga em Stalingrado, derrotando grandes forças no meio do caminho.

    O grande problema era que a Wermacht precisava lidar com as excessivas interferências dos altos escalões. Isso algumas vezes, redundaria na falta de objetivos bem definidos, especialmente na guerra com a URSS. Sem duvida, o fato de ser comandado por um ditador como Hitler, cujas experiências e habilidades militares eram limitadas, também afetou seu desempenho no final da guerra.

    Mestre na arte de contra-atacar, igualmente competente no ataque ou na defesa, o exercito Alemão era um oponente notável, para qualquer adversário. Apesar dos recursos começarem a faltar e da multiplicidade das dificuldades, permaneceu resoluto e concentrado nos seu desempenho.

    A derrota em Stalingrado afetou profundamente o exercito Alemão. O fato de ter se recuperado rapidamente, conseguindo uma vitória inacreditável em Kharkov, evidenciava sua capacidade. Ao contrario do que todos acreditam, no inicio de julho de 1943, o exercito Alemão ainda estava longe de ser derrotado.

    O soldado (Landser) da Wermacht.

    As restrições impostas à Alemanha depois da primeira guerra mundial incluíam um limite ao tamanho de seu exercito, apesar de humilhantes essas restrições tiveram seu lado benéfico, quando a guerra finalmente começou. O processo de seleção era rigoroso apenas os melhores candidatos eram escolhidos. À medida que a situação politica mudava e o exercito crescia, esses homens cuidadosamente escolhidos evoluíam nos escalões e transmitiam suas habilidades para os colegas, outro resultado das restrições do período entreguerras foi que até os mais novos soldados eram treinados para substituir seus superiores. Com alguns brilhantes estrategistas e hábeis militares no comando, equipado com bom material, o exercito Alemão de 1939 era, verdadeiramente um adversário formidável.

    Ao invadir a Polônia, em setembro daquele ano, mostrou bom uso das habilidades desenvolvidas. Campanhas rápidas e decisivas seguiram-se umas as outras, pelos 18 meses seguintes.

    O soldado comum Alemão que cruzava a fronteira, em junho de 1941, era bem treinado experiente na batalha e muito capaz. Determinado e profissional, o Landser Alemão da segunda guerra mundial provaria suas habilidades inúmeras vezes.

    Fontes: Renes (Estado Maior Alemão) & Battlefield

    M. Moriarty

  2. 15/08/2012 às 9:00 AM

    A Wermacht e a SS foram estruturas militares moldadas no sistema que foi herdado dos cavaleiros templários teutônicos em termos de combate e estratégia, por isso mesmo em menor número e grupos dispersos conseguiam inflingir grandes baixas nas forças aliadas, essa é mais uma parte de história proibida, onde todos os integrantes da SS tinham uma cicatriz ao lado esquerdo do rosto seguindo a antiga tradição duida e posteriormente teutônica de que os guerreiros deveriam possuir uma marca de espada em seu corpo.

    A história contada pelos vencedores é cheia de vergonhas e mentiras onde muito provavélmente nunca iremos conhecer a história real do que aconteceu, como aconteceu e por que aconteceu, mas existém muitas evidências que algo ali não foi bem como foi contato.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: