Início > Monte Castelo > 70 Anos da Tomada de Monte Castelo. A Batalha que Euclides da Cunha não viu.

70 Anos da Tomada de Monte Castelo. A Batalha que Euclides da Cunha não viu.


Euclides da Cunha definiu o sertanejo como nenhum outro escritor o fizera antes ou depois, “O sertanejo é, antes de tudo, um forte” frase evocada em sua obra prima “Os Sertões”, materializando de forma clara o destemor do Sertanejo, do nordestino!

43 Anos depois da celebre frase, novamente em um campo de batalha, o vigor do Sertanejo é testemunhado. O seu destemor surge preponderante sobre um inimigo experimentado. Desta vez, não mais na sua própria terra, mas em terras estrangeiras, durante a Segunda Guerra Mundial. O temível Exército da Alemanha de Hitler encontrou-se frente a frente com à herança do sangue guerreiro dos jagunços de Antônio Conselheiro e deixou o alemão boquiaberto, sem acreditar no que os seus olhos arianos enxergam. Quem são esses? Pergunta um Alemão. Mesmo sob o fogo cerrado da metralhada o Sertanejo avança!

Mas não é um nordestino… É um mineiro! Integrante da 1ª Companhia do Regimento Sampaio, avança sem hesitar, um mineiro de coragem inquestionável, honra o nome do Patrono da Infantaria, em nome das Rainhas das Armas, avança sobre as posições inimigas. Risadas e piadas circulam no meio dos soldados Brasileiros: “Olha a Lurdinha!”, gritava um curitibano, “hoje ela tá braba…”, falava um paraibano risonho, “A Cobra vai Fumar!”, completava o carioca, enquanto o paulista e o pernambucano seguiam para o próximo abrigo. Eram todos brasileiros, eram todos febianos.

Hoje, enquanto celebramos 70 anos do maior feito militar da Força Expedicionária Brasileira, imaginemos: assim como testemunhou a bravura do Sertanejo, se Euclides da Cunha pudesse ver esses jovens lutando naquele hoje longínquo 1945? Tomando o Monte no norte da Itália do exército mais poderoso que esse mundo já presenciou. Queríamos ver Doutor Euclides enxergando com seus próprios olhos nossos soldados em cima do Monte, com certeza a frase seria: “O brasileiro é, antes de tudo, um forte”, e ainda acrescentaria: “… forte e o melhor soldado do mundo!” Daquele que, mesmo sob a adversidade, mantém o espírito do seu Povo, do Povo Brasileiro, pois o Soldado Brasileiro é, na sua essência, a representação máxima do seu povo, portanto, um forte por natureza.

Monte Castelo foi conquistado em 21 de fevereiro de 1945, mas o sangue daqueles valentes soldados brasileiros caídos durante a Batalha enaltece a gloriosa coragem de uma geração de jovens, para que jamais seu povo esqueça que somos uma nação forte em qualquer tempo. Celebremos, pois, não apenas os 70 anos de uma vitória militar, mas principalmente a coragem e a determinação do povo brasileiro, materializada na ação daquela geração de soldados da nossa Força Terrestre.

Francisco Miranda

ANVFEB-PE

Proibida a reprodução sem autorização.

Anúncios
  1. Thiago Aquino
    21/02/2015 às 11:07 AM

    Meu avô esteve lá. Na ocasião, era Tenente. Tenho o seu diário, com as suas impressões sobre a batalha e sobre a experiência na Guerra como um todo. Parabéns pelo blog!

  2. André Luiz Bezerra
    22/02/2015 às 12:31 PM

    Amei adorei meu amigo este blog é 10

  3. 09/05/2015 às 1:33 AM

    Pessoal desculpe comentar aqui, mas estou pelo celular e não encontrei outro local. Alguem poderia me dizer se tem conhecimento de que existe tradução do livro: The Psychopathic God: Adolf Hitler do escritor Robert G. L. Waite.
    Queria muito ler mas não achei nada… Só ele na amazon em lingua original. Aguardo, abraços.

  4. 09/05/2015 às 1:34 AM

    Pessoal desculpe comentar aqui, mas estou pelo celular e não encontrei outro local. Alguem poderia me dizer se tem conhecimento de que existe tradução do livro: The Psychopathic God: Adolf Hitler do escritor Robert G. L. Waite.
    Queria muito ler mas não achei nada… Só ele na amazon em lingua original. Aguardo, abraços.

  5. Carmem Lucia de O. Lima
    06/02/2017 às 12:06 PM

    Prezado Francisco Miranda, Boa tarde! Estou fazendo uma homenagem ao meu pai, Manoel Aires de Oliveira, que completaria 100 anos em 2016 e que foi a Itália entre 1944 e 1945, Participou ativamente de varias conquistas na linha de frente especialmente em Montese e Monte Castelo. Gostaria de sua autorização para inserir o artigo 70 Anos da Tomada de Monte Castelo. A Batalha que Euclides da Cunha não viu.”. A publicação a principio será apenas para familiares. O número de cópias não chegará 50 unidades e com os devidos créditos e fonte.
    Aguardo sua autorização.
    Agradeço antecipadamente.
    Carmem L. de O. Lima

    • 06/02/2017 às 12:18 PM

      Carmem,

      Claro que autorizo.

      • Carmem Lucia de O. Lima
        06/02/2017 às 12:23 PM

        Obrigado!!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: