Arquivo

Posts Tagged ‘aniversário de Hitler’

Hitler – 1939: 50 anos o Auge de Sua Vida

Em 20 de abril de 1939, Adolf Hitler comemorou 50 anos, ou melhor, a Alemanha comemorou os 50 anos de seu Fürher. E tinha o que comemorar. Observando do ponto de vista do passado recente, exatamente as décadas de 20 e 30, o povo alemão recuperou toda a autoestima destruída desde o fim da Grande Guerra e a assinatura do Tratado que humilhou a Alemanha.

 Mesmo não ganhando nenhuma eleição e assumindo a Chancelaria do Reich através de acordo políticos, tornou-se o líder que unificou os ideais de recuperação nacional depois da morte do Presidente Hindenburg. Desde então, Hitler abandonou qualquer tipo de política de aproximação com as nações ocidentais, implementando, mesmo que de forma velada, uma economia de guerra. A Alemanha estava ressurgindo como potência econômica e militar.

Em 1939 o mundo já se preparava para o pior. O ensaio da Guerra Civil Espanhola tinha contado com o apoio de tropas e da Força Aérea germânica; as Conferências de Paz não mais estavam dando resultado, Neville Chamberlain e outros líderes mundiais, não nutriam mais esperanças nas promessas vazias de Hitler, contudo não realizam qualquer ação concreta quanto às pretensões territoriais de anexação das nações vizinhas pelo governo nazista e sua política expansionista, o chamado “espaço vital”. O Mundo caminhava a passos largos para uma inconsequente, duradoura e custosa guerra. A máxima usada pela impressa ocidental quando no término da Primeira Guerra, parecia soar como uma Utopia desvairada: “Uma Guerra para acabar com todas as Guerras”, isso nunca se tornou realidade, nem mesmo depois da Segunda Guerra.

Curiosidades Importantes e Reveladoras Sobre Adolf Hitler

Braunau: Simbolo de uma missão

Para Hitler, o local de seu nascimento já é um símbolo da missão que diz ter-lhe sido confiada pela providência. “Parece-me sinal propício do destino o fato de ter nascido justamente em Braunau sobre o Inn”, assim começa o seu Mein Kampf. “Esta cidadezinha encontra-se o fato na fronteira entre dois Estado alemães (Áustria e Alemanha) cuja reunificação deve ser, principalmente para nós jovens, uma missão a ser cumprida a qualquer custo”. (A. Hitler, Mein Kampf, Zentralverlag des NSDAP, Munique, 1936).

Hitler era Judeu?

A Árvore genealógica compilada em 1934 pelos peritos nazistas faz remotar ao século XV o aparecimento da família Hitler: um certo Mattheux Hydler figuraria, nos registros da abadia de Hurzemberg, em 1445, como comprador de uma propriedade agrícola. Mais tarde, o nome difundiu-se em várias grafias: Hytler, Hietler, Huetler, Hütter, Hittler. E também o significado literal do sobrenome encontrou interpretações diferentes : guardião de cabanas, pastor, pequeno camponês. Segundo Konrad Heiden (Hitler, das Leben eines Dikatators, Europa Verlag, Zurique, 1936-37) “O raro e o pouco estranho sobrenome Hitler encontra-se mais frequentemente entre os judeus orientais do que entre os alemães, precisamente na Galícia, Bucovina, Romênia e Polônia”. Também Adolf Hitler é de origem israelita?

O pecado de vovó Shickgruber – o testemunho de Hans Frank

No início de 1938, Adolf Hitler ordena a Hans Frank, ministro do Reich, recolher toda a documentação referente à avó, Maria Anna Schiklgruber. Eis o resultado: “…a senhorita Schiklgruber, por volta do ano de 1830, trabalhava em Graz para uma família israelita chamada Frankenberger. Quando, em dado momento, a moço ficou grávida,  Frankenberger pai começou a pagar-lhe uma pensão para os alimentos, por conta do seu próprio filho que naquela época tinha 19 anos. A família Frankenberger e a avó de Hitler mantiveram durante anos uma correspondência da qual se deduz de que interessados sabiam, e tacitamente reconheciam, que o menino da empregada havia sido concebido em circunstâncias tais que obrigavam os Frankenberger a pagar aquela pensão…” (H. Frank, Im Angesicht des Galgens, Munique, 1953).

A Sepultura Devastada

Dois meses depois de Anschluss da Áustria, em maio de 1938, Hitler determina que a região de Waldviertel seja usado como campo de manobras do Exército. Três meses depois, algumas divisões militares cercam a aldeia abandonada de Döllersheim e a invadem subitamente com carros armados pesados:  todas as casas foram destruídas, e também o cemitério revolto e arado com determinado particular. Neste cemitério encontrava-se o túmulo do avó de Hitler.

Hitler na declaração da Grande Guerra

 

%d blogueiros gostam disto: