Arquivo

Posts Tagged ‘Exército russo’

A Alemanha e a Invasão da União Soviética – Entendimento

        O processo de invasão da União Soviética estava na mente de Hitler desde a sua formação ideológica total. Era um projeto de poder. E todos sabiam do antagonismo dos regimes alemães e soviéticos. Por isso o pacto de não agressão Molotov-Ribbentrop, assinado à surdina de 23 de agosto de 1939, causou tanta estranheza as nações ocidentais. Todos foram pegos de surpresa com a declaração da assinatura do pacto. O resultado imediato permitiu uma invasão à Polônia coordenada com as forças soviéticas, ao ponto de terem estabelecidos todas as áreas de influências antes mesmo que qualquer tiro fosse disparado. Até hoje os defensores do regime comunista não acreditam que a figura de Stálin se alinhou com Hitler e caminharam juntos com os mesmos objetivos de 1939 a 1949. Argumentam que é uma mentira reconhecida dos capitalistas para denigrir a imagem de Joseph Stálin ou uma maravilhosa estratégia do líder soviético para ganhar tempo e se preparar para uma guerra inevitável. Duas argumentações, diga-se de passagem, falhas e sem cabimento. Primeiro é necessário entender que não há qualquer dúvida que o Pacto delimitava as condições de avanço alemão e previa as condições depois da capitulação polaca. Não há qualquer argumentação histórica séria que vá de encontro às condições a este cenário. Com relação à visão de que Stálin se preparava para uma guerra com a Alemanha, isso é uma argumentação extremamente difícil de ser defendida. A invasão da União Soviética ocorreu com um avanço territorial significativo durante as primeiras semanas de campanha, com pouca ou nenhuma resistência. O próprio Stálin já esperava uma invasão a Rússia, inclusive com um plano de abandonar a capital russa e realizar a transferência das fábricas bélicas para os Montes Urais.  Hitler opta por avançar em direção ao Cáucaso, a revelia do pensamento de militares expoentes como Guderian e von Rundstedt que acreditavam na conquista da capital. No sentido geral, não argumentosque possam embasar que se tratava de uma estratégica stalinista, estava mais para uma guerra desesperada pela sobrevivência. E a guerra não foi ganha pelas estratégias russa, quando estavam defendendo seu território, mas pela tenacidade de seus jovens soldados.

 Segue galeria da invasão alemã a território russo.

E a Tal Guerra de Inverno?

Quem poderia imaginar que um país com pouca tradição militar poderia enfrentar uma nação de larga experiência nos campos de batalha? A Guerra de Inverno foi à oportunidade perfeita para o Grande Exército do Povo se dispusesse contra um inimigo relativamente fraco, onde as demais potências iriam tremer perante a força descomunal do exército do povo soviético. Mera falácia! Os soviéticos encontraram um exército finlandês aguerrido e disposto a não entregar seus territórios para o inimigo bolchevista. Stálin esperava o controle total da Finlândia até o final de 1939, teve que se contentar com um acordo de paz que cedeu 10% do território gelado finlandês e 20% da sua capacidade industrial para à União Soviética. A Finlândia manteve a soberania e conseguiu congregar nações aliadas para sua causa.

O fracasso militar soviético na Guerra de Inverno fortaleceu a ideia de Hitler que o Exército Vermelho estaria em frangalhos depois de poucas semanas da Operação Barbarossa. Novamente, seguindo o mesmo ego de invencibilidade do georgiano Stálin, Hitler se depara com seus próprios erros estratégicos.

Moral da História? Nenhum inimigo é fraco o suficiente quando estão lutando por sua própria terra.

%d blogueiros gostam disto: