Arquivo

Posts Tagged ‘invasão da frança’

71 ANOS DA MAIOR OPERAÇÃO ANFÍBIA DO SÉCULO 20 – O Dia D!

 Mais um data para que possamos lembrar. A Operação Overlord teve início no distante 06 de junho de 1944.

 Separamos alguns dos principais artigos que o BLOG já publicou sobre a Dia D, em um vasto acervo de fotografias e análise da operação.

A operação, perdoe-nos os adeptos da República Soviética, é a que mais aguça o interesse de alguns aficionados pela Segunda Guerra Mundial. Deixando de lado a ideologia, escrevemos tanto sobre esse tema, mas mesmo assim parece que o tema não se esgota. Disponibilizamos alguns links de todos os artigos sobre o Dia D, e não são poucos! São 47 Artigos tratando diretamente os eventos do dia 05 e 06 de junho de 1944, data que marca o início das operações aerotransportadas e, posteriormente, os desembarques nas praias normandas. Acompanhada com os artigos, estão disponíveis algumas centenas de fotografias que, diga-se de passagem, estão entre as preferidas. As fotografias que consideramos imperdíveis para quem gosta da operação.

Rommel e o Dia D – Preparação

http://wp.me/pSMXF-4ns

Os Loucos Condenados do Dia D

http://wp.me/pSMXF-4nX

Os Feridos e Mortos em Omaha – Dia D

http://wp.me/pSMXF-4of

Bombardeios Imprecisos, prenúncio do massacre – Omaha/Dia D

http://wp.me/pSMXF-4pi

Dia D – A Operação que Mais Consumiu Recursos Materias e Humanos!

http://wp.me/pSMXF-4qx

Dia D e a Normandia: O Preço Pela Liberdade!

http://wp.me/pSMXF-4Vx

O Dia D – IN LOCO

http://wp.me/pSMXF-5cg

A Hora H do Dia D – Parte II

http://wp.me/pSMXF-5gr

Os Alemães e o Dia D.

http://wp.me/pSMXF-5hi

Os Melhores Registros Fotográficos do Dia D – Homenagem a Robert Capa

http://wp.me/pSMXF-5l3

Dia D – Especial 69 Anos – Destruição e Morte Vinda dos Céus

http://wp.me/pSMXF-5xj

Eis O Dia D, Ainda Chama Atenção

http://wp.me/pSMXF-5Pc

O GOOGLE MAPS do Dia D!!

http://wp.me/pSMXF-5AC

Bunker – As Fortificações do Dia D e Outras

http://wp.me/pSMXF-5yF

O Dia D – Defensores e Atacantes

http://wp.me/pSMXF-3TH

Dia D – Análise, Fatos e Fotos

http://wp.me/pSMXF-3KC

E o Brasil, Como Viu o Dia D?

http://wp.me/pSMXF-C4

Omaha – Dia D – General Cota – O Comandante no Setor DOG WHITE

http://wp.me/pSMXF-CT

O Dia D no LEGO – Muito Legal!

http://wp.me/pSMXF-Dh

O Fracasso da Defesa no Dia D

http://wp.me/pSMXF-DH

Dossiê – A Morte do General Pratt no Dia D – Parte I

http://wp.me/pSMXF-Eu

O Dia D – Visto por um ângulo Diferente

http://wp.me/pSMXF-Uh

Dia D – Visto por Outro Ângulo

http://wp.me/pSMXF-ZO

DIA D – Mais Um Ângulo Diferente, a do Soldado – A Mais Difícil – Parte I

http://wp.me/pSMXF-10M

DIA D – Mais Um Ângulo Diferente, a do Soldado – A Mais Difícil – Parte II

http://wp.me/pSMXF-11v

DIA D – Mais Um Ângulo Diferente, a dos Alemães – Parte Final

http://wp.me/pSMXF-12c

O Dia D, depois do Dia D!

http://wp.me/pSMXF-224

Os Civis No Dia D e depois do Dia D!

http://wp.me/pSMXF-22F

O Que Sobrou do Dia D? Cidades Destruídas

http://wp.me/pSMXF-23o

A Marinha de Guerra dos Aliados no Dia D.

http://wp.me/pSMXF-2bp

As Consequências do Dia D para a População da Normandia

http://wp.me/pSMXF-2NU

06 de Junho de 1944 – 67 Anos do Dia D

http://wp.me/pSMXF-Bg

Muito bem. Vamos! – A Ordem do Dia D – Especial – Parte II

http://wp.me/pSMXF-At

05 de Junho 1944 – DIA D 67 Anos – Especial – Parte I

http://wp.me/pSMXF-zL

Os Páraquedistas no Dia D – Parte I

http://wp.me/pSMXF-r9

Dia D – Relatos de Omaha – Parte III – Os Erros em Omaha

http://wp.me/pSMXF-oG

No Dia D – Hitler Dorme do Ponto

http://wp.me/pSMXF-hp

Dia D – Relatos de Omaha – Parte III – Quem fez a diferença

http://wp.me/pSMXF-fp

Dia D – Relatos de Omaha – Parte II

http://wp.me/pSMXF-cE

Dia D – Relatos de Omaha – Parte I

http://wp.me/pSMXF-cC

Depois do Dia D

http://wp.me/pSMXF-98

Prisioneiros de Guerra do Dia D!

http://wp.me/pSMXF-8Q

Fortificações Destruídas no Dia D

http://wp.me/pSMXF-5w

Erros do Dia D?

http://wp.me/pSMXF-5k

Desastre em DIEPPE – O Dia D que fracassou!

http://wp.me/pSMXF-4B

Fotos & Versões do Dia D

http://wp.me/pSMXF-3e

Operações Militares na Normandia!

http://wp.me/pSMXF-5oL

Antes e Depois – Especial Normandia

http://wp.me/pSMXF-5kL

 

Eis O Dia D, Ainda Chama Atenção

O Dia D ou, no contexto militar, Operação Overlord, sempre esteve na mística das grandes batalhas da Segunda Guerra Mundial. Sempre habitou a mente daqueles que pesquisaram o assunto e sempre foi objeto de estudo de operações anfíbias nos centros de estudos militares do mundo. Os atacantes, representados pelo Supremo Comando Aliado, tinha à frente ninguém menos do que General Dwight David Eisenhower , veterano da Grande Guerra, foi escolhido por conseguir conciliar e transitar entre as arestas da alta cúpula militar americana e inglesa. Ele planejou, supriu e tentou executar da melhor forma possível a invasão à Muralha Europa, empregando todos os meios tecnológicos e humanos disponíveis do ocidente.

Do outro lado, estava dois experiente Marechais, o primeiro Gerd von Rundstedt, Comandante em Chefe da Frente Ocidental, estava cansado na idade e mais ainda daquela guerra, mas era um soldado profissional, comandando meio milhão de homens atrás da Muralha que a propaganda do Dr. Goebbels insistia em adjetivá-la de “intransponível”. Mas coube ao Marechal-de-Campo Erwin Rommel, nomeado  Comandante do Grupo de Exército B, as defesas costeiras do Passo do Calais até o extremo sul da França. “A Raposa do Deserto” era respeitado pelos inimigos e graças a sua intervenção o Dia D, principalmente em alguns aspectos, o Dia D se tornou muito mais duro do que se podia imaginar.

Em abril de 1944, Rommel inicia uma série de melhorias nas defesas, que visavam aumentar as chances de fracasso de uma investida direta dos aliados. Isso incluía aumento do número de fortificações, expansão de áreas alagadas contra um desembarque aeroterrestre e criação de novas áreas de obstáculos marítimos em várias áreas que poderiam ser utilizadas como locais de desembarque. Segundo a doutrina empregada por Rommel, os Aliados deveriam ser repelidos sem que conquistassem um Cabeça-de-Praia, isso quer dizer que as defesas deveriam evitar a chegada e a fixação de tropas inimigas nas praias. Os blindados deveriam ser acionados assim que os desembarques iniciassem, acabando com qualquer chance de reforços através do Canal.

Mas os blindados não poderiam ser acionados sem uma ordem direta do próprio Hitler. Quando a ordem chegou, o Dia 06 de junho de 1944, já estava se encerrando e as tropas Aliadas, mesmo sofrendo terríveis baixas, já se posicionavam em direção ao interior; em direção a Caen, maior objetivo após os desembarques.

O Dia D, apesar de estudado e comentado a exaustão, ainda é motivo de reflexão, pois todos aqueles recursos de homens e material empregados em um espaço geográfico limitado e em um curto período não mais deva se repetir, já que a grandiosidade se reflete, infelizmente, na quantidade de civis e militares que perderam suas vidas nessa operação.

A Hora H do Dia D – Parte II

 Confesso que o conjunto de fotos que iremos publicar me empolgou, não apenas pela qualidade, mas principalmente pela quantidade dos registros. A convicção que as forças aliadas tinham de registrar do desembarque ao avanço das tropas. Fotografias até certo ponto difíceis de ver, principalmente os que registram corpos dos soldados mortos ou feridos gravemente. O interessante é que as fotografias não foram publicadas durante o conflito e permaneceu assim por décadas até ser liberado, no final das contas transformou-se em uma trabalho para posterioridade. Determinadas fotografias publicadas na imprensa nesse período iria ter um impacto semelhante, creio eu, a propaganda da guerra do Vietnã.

 Então vamos a elas:

 

 

Fotografia: Contando a Segunda Guerra Mundial – Parte III

Nessa publicação vislumbraremos principalmente o ano de 1940, que em termos de conquista, foi o ano mais avassalador para a Alemanha, deixando o mundo inteiro perplexos com as conquistas territoriais conseguidas em tão pouco tempo. Se valendo de uma França politicamente dividida e estrategicamente protegida pelo Tratado de Não Agressão gemano-sociético que, diga-se de passagem, tinha mais como objetivo fazer com que a Alemanha dividisse uma mesma fronteira com a URSS.

Contudo a grande Nação Nazista não estava preparada para enfrentar uma consequência previsível dessa expansão: a ocupação das nações invadidas. Nesse aspecto a Wermacht deixa de ser uma força ofensiva para atuar como força de ocupação, e isso exige uma nova conduta que não implementada pelos nazistas. Os líderes nazistas atuam com repressão e violência antes mesmo de qualquer movimento partisan ter sido formado. Agora o regime tem que se preocupar com a administração e o controle político interno dos países baixos e a França, além da continuidade posterior da guerra no atlântico e a preparação de uma possível invasão a Inglaterra. Nesse ponto a Inglaterra luta desesperadamente para manter-se firma sem qualquer acordo de paz. Contudo a moral inglesa é abatida a cada ofensiva aérea sobre Londres, já que os alemães possuem um controle de todos os campos de pouso que vai da Dinamarca até a Normandia. O único alívio é a disposição americana para enviar suprimentos para as terras da Rainha.

Fotografia: Contando a Segunda Guerra Mundial – Parte II

Estamos contato a Segunda Guerra através das fotografias do Centro Histórico Alemão (Bundesarchiv). Nessa postagem estaremos “contando” a invasão da Polônia, que foi o primeiro grande evento oficial da Segunda Guerra em 01 de setembro de 1939. A campanha contra a Polônia foi desencadeada pelo Alemanha com a conivência e posterior apoio russo, estando inclusive previsto em cláusula secreta no Tratado de Não-Agressão germano-soviético. Esse fato até hoje é motivo de controvérsias. Também há registros da invasão Alemã aos países baixos e a surpreendente capitulação francesa, onde a cerimônia de rendição teve o cerimonialismo dos vencedores imposta por Hitler.

DIA D – Mais Um Ângulo Diferente, a do Soldado – A Mais Difícil – Parte I

 Eisenhower disse certa vez: “Antes da Batalha os Planos são TUDO, mas quando ela começa nada mais importa”. A Invasão da Europa contou com o que os EUA, Inglaterra e seus aliados tinham de melhor, muito embora a Alemanha acreditasse que os desembarques seriam rechaçados em qualquer lugar que acontecesse, o que se viu naquele 06 de junho de 1944 foi uma resistência desorganiza contudo ávida, muitos grupos de combate resistiram até o último cartucho.

Em omaha, como vocês já sabem as baixas foram terríveis, e é nesse contexto que queríamos publicar algumas fotos que expressasse a visão do soldado que desembarcou em omaha e, apesar da resistência, conseguiu conquistar terreno e no final do Dia D, já tinham unidades no interior.

Lembro que a Visão do Soldado de Infantaria sempre é a mais difícil de encarar! Portanto existem cenas fortes, e por isso solicito descrição.

 

 

ESSA E A PRIMEIRA PARTE TEREMOS MAIS A PARTIR DE AMANHÃ…

Dunquerque – Cronologia de Uma Fuga

1940 – 20 de Março

                Churchill pede ao Almirantado para preparar uma frota de embarcações adequadas para a evacuação da BEF da costa francesa. Em Paris, o General Maxime Weygand assume o posto de General Maurice-Gustave Gamelin como supremo comandante das forças Aliadas na França.

 24 de maio

             Hitler ordena que as forças Panzer não ultrapassem a linha de Lens-Béthune-St Omer-Gravelines. As razões para o impedimento não são claras, mas de qualquer forma isto dá um tempo precioso para que as tropas inglesas e francesas retiradas de Dunkirk alcancem a costa.

             A Luftwaffe inicia um intenso bombardeio contras as posições Aliadas nas imediações de Dunkirk, esse bombardeio permaneceria até 4 de junho, contudo perdem mais de 200 aviões para a RAF que chega de surdina pelo sul da Inglaterra.

 25 maio

Hitler reverte a ordem de parar, mas a demora fez com que as forças alemãs não pudessem chegar a Dunkirk antes da retirada Aliada. Às 18h57, a Operação Dínamo, a evacuação das forças inglesas de Dunkirk, começa oficialmente. Mais de 850 barcos ingleses civis participam, levando os soldados da beira da praia até os navios da Marinha que ficam à espera no mar, ou carregando os soldados eles mesmos até o Reino Unido.

28 de maio

             O Exército belga que protegia o flanco direito dos Aliados se rende diante da investida do 18º e 16º Exércitos da Alemanha. A Bélgica foi derrotada em apenas 18 dias, embora sua ação tenha dados aos Aliados a oportunidade de escapar. No final do dia 28, 25.473 soldados ingleses tinham sido evacuados.

 29 maio

            Mais 47 mil soldados aliados evacuam das praias de Dinkirk. O número inclui 6 mil soldados franceses.

31 maio

150 mil soldados aliados – incluindo 15 mil franceses – são transportados para o Reino Unido.

1º de junho

A defesa do perímetro de Dunkirk passa para o XVI Corps francês.

4 de junho

            A Operação Dínamo é encerrada oficialmente. No total, 338.226 soldados Aliados foram resgatados e salvos de aprisionamento ou morte nas mãos das forças alemãs. No total, estão incluso 113 mil franceses. Cerca de 40 mil soldados franceses, entretanto tornaram-se prisioneiros de guerra quando as tropas alemãs tomaram Dunkirk.

5 de junho

            A Operação Vermelha alemã tem início – o objetivo final é quebrar a resistência francesa ao longo dos rios Somme, Seine, Aisne e Moselle e seguir até Paris. Em 12 de junho, o exército alemão Grupo B, comandado pelo General Gerd Von Rundstedt que as defesas francesas.

10 a 25 de junho

            Os Aliados conduzem mais operações de evacuações ao longo da costa francesa. Antes de 15 de junho, as evacuações são concentradas nos portos do norte, tais como Le Havre e St. Valery, mas no lançamento da Operação Ariel no dia 15, portos do sul em Biscay também são usados. Perto de 250 mil soldados Aliados são resgatados durante essas operações.

14 de junho

            As forças alemãs entram em Paris, depois da cidade ter sido declarada cidade livre. As defesas francesas através do país entram em colapso com a ofensiva final alemã.

22 de junho

O General francês Charles Huntzinger assina um armistício de acordo com os alemães. A humilhação é maior para os franceses por ter de assinar um armistício na mesma ferrovia de transporte usada para a assinatura da rendição alemã no final da Grande Guerra.

Eventos Internacionais

22 de maio

            Decifradores ingleses de códigos, trabalhando em Bletchley Park, quebram o código “Vermelho” da Luftwaffe da máquina de codificar Enigma. Eles conseguiram isso usando um instrumento de computar mecânico, conhecido como “Bombe”.

26 maio

O governo inglês começa a requisitar sobras e restos de metal para serem utilizados pela indústria bélica.

10 de junho

            A Itália declara guerra à Inglaterra e França. Mussoline declara: “Tomamos partido contra as democracias plutocráticas e reacionárias que têm bloqueado a marcha e frenquentemente tramado contra a existência do povo italiano”.

11 de junho

A Ilha de Malta experimenta sei primeiro ataque aéreo alemão, iniciando uma das campanhas de bombardeio mais fortes de guerra.

12 de junho

A Royal Air Force bombardeia Milão e Gênova, em resposta a Declaração de Guerra da Itália contra Inglaterra e França.

14 de junho

Na Polônia, o campo de concentração de Auschwitz recebe seus primeiros internos, 728 prisioneiros de Tarnow.

20 de junho

            No extremo oriente, o Japão adverte os governantes franceses da Indochina contra o apoio dado a ações anti-japão realizadas pelo governo da China Nacionalista em Chungking.

Propaganda Nazista na França e Bélgica

Dois dias após da entrada das tropas Alemã em Paris a infantaria do Exército da Alemanha realiza o Desfile da Vitória saudada pelo General Kurt Von Briesen comandante do 30ª Divisão de Infantaria

– Kurt Von  Briesen foi morto as 12h30m  do dia 20 novembro de 1941 à oeste da cidade Kharkov, em uma ataque aéreo soviético. Foto de Desfile de Autor Desconhecido – junho 1940.


A Campanha do Oeste, 10 de maio – 20 junho, 1940 – O esforço das agências de propaganda Alemã – Na área de Dinant (Bélgica), os repórteres da 4ª Companhia de Propaganda da Força Aérea Alemã

A recepção em Luxemburgo e a aproximação com o povo

Elementos da 4ª Divisão Panzer na Batalha de Gembloux (entre Namur e Bruxelas)

 

Comandante de Tanque da 4ª Divisão Panzer em Gembloux

 

Veículo de propaganda da 4ª Companhia da Luftwaffe

Um breve descanso nas patrulhas que foram seguidas a invasão francesa, soldados da propaganda alemã

 

O Capitão Hans Von Pebal abordo de uma avião Hs-126

Repórter da Companhia de Propaganda Alemã escreve reportagem em frente a edifício nas proximidades de Paris.

 

Durante a Campanha da França, as atividades do 76º Esquadrão de Bombardeios da Luftwaffe, um repórter com rádio instalando um gravador com fita que lhe permitira salvar a missão de bombardeio.

Em terra a equipe de apoio ouve a transmissão de rádio

 

Em Bruxelas, um caminhão de transmissões de propaganda alemã anuncia a rendição das forças belgas

Caminhão de transmissão anuncia o discurso do Marechal Petain anunciando o armistício e a declaração de guerra contra os Aliados

idem da anterior

 

O anúncio em Bruxelas também foi propagando também nos jornais

Em frente ao diário local “Nação Belga” jornalistas alemães e a população de Bruxelas lêem a Rendição das Forças Alemãs Belgas.

Prisão francesa onde existiam áreas reservadas as povos das colônias

Presos e feridos na Campanha Belga

 

Tropas de Ciclistas da Alemanha

Caça Frances abatido

Blindado abandonado

 

Soldado alemão morto em combate

 

Soldado Frances se recupera em Hospital de Campanha Alemão

 

Pilotos franceses em entrevista para repórteres alemãos

 

Escritórios foram requisitados pela Alemanha para criação de escritórios específicos para a propagada Nazista.

 

22 de junho 1940 assinatura do armistício em Rethondes, participaram do encontro do lado Frances os Generais Charles Huntziger, Jean Bergeret e o embaixador de assuntos estrangeiros Leon Noel.

                  O Carro foi enviado para Berlim, onde a propaganda nazista realizou um desfile e depois, por ordem do próprio Hitler foi destruído.

                  %d blogueiros gostam disto: