Arquivo

Posts Tagged ‘ww2’

Tanque Russo usado pelo Alemães encontrado depois de 56 anos

Em 14 de setembro de 2000, uma escavadeira Komatsu puxou um tanque abandonado russo da Segunda Guerra Mundial de seu túmulo conservado sob o fundo de um lago perto de Johvi, Estônia. O tanque soviético T34-76A descansava no fundo do lago há 56 anos. O tanque tinha sido capturado e usado pelos alemães durante a batalha, e quando o combustível começou a vazar, eles soltaram-no deliberadamente dirigindo até um lago onde ele afundou e lá permaneceu até o ano de 2000.

Rebocador Komatsu que será utilizado no resgate

A escavadeira Komatsu tem o poder e tração necessária para puxar o tanque. O trator está puxando a partir de uma elevação o tanque, o que e requer mais esforço.

A Elevação

Com a ajuda de seus cavalos de potência, o T-34 é lentamente liberado de seu túmulo.  O esforço continua, e a cruz alemã do tanque na torre já pode ser vista enquanto o tanque vai emergindo. Quando um exército captura e utiliza um tanque inimigo os captores pintam seus próprios símbolos no veículo para que seja reconhecido pelo seu próprio lado e não ficar sob fogo amigo.

A Cruz Alemã deixa claro que o tanque russo foi capturado.

Quase a metade do tanque agora está fora do lago. A cúpula da torre está aberta. A comunidade local ajuda a limpar as raízes da árvore que impedia o progresso.

Quase lá...

Agora o tanque está livre de toda a raiz da árvore que o segurava, e o T-34 é arrastado para fora.

Impressionante o estado de conservação do Tanque

O tanque está completo agora e sendo transportado para fora. Está intacto, nenhum dano aparente foi causado. É como se o tanque fosse armazenado em uma cápsula do tempo. Ela aparece exatamente como na última vez que esteve em combate na Segunda Guerra Mundial.

Muito sujo, mas o tanque está 100% completo após 56 anos no lago. É incrível como o tanque foi tão bem preservado no pântano.

A tintura ainda está conservada e com pouco ou nenhuma ferrugem. Até mesmo os simbolos pintados ainda são claramente visíveis e não apresentam grande deterioração ao longo dos anos .

Apesar de suja, a munição do tanque ainda estava intacta. Estas munições serão retirados e eliminadas pelo exército dada sua condição perigosa

A HISTÓRIA

De fevereiro a setembro de 1944, pesadas batalhas foram travadas na estreita faixa de 50 km de largura na frente de Narva na parte noroeste da Estônia. Mais de 100 mil homens foram mortos e 300 mil foram feridos. Durante batalhas no verão de 1944, o tanque foi capturado do exército soviético e usado pelo exército alemão. (Esta é a razão das cores alemãs pintada na parte externa do tanque.) Em 19 de setembro de 1944, tropas alemãs iniciaram uma retirada organizada ao longo da frente de Narva. Suspeita-se que o tanque foi então conduzido propositadamente para dentro do lago, sendo abandonado quando os seus captores abandonaram a área.

Naquela época, um menino local caminhado pela pelo lago Matasjarv notou rastros de tanque que levam até o lago, mas não chegando a lugar nenhum. Por dois meses ele viu bolhas de ar saírem do lago. Isso lhe deu motivos para acreditar que devia haver um veículo, no fundo do lago. Alguns anos atrás, ele contou a história para o líder de um clube local de história da guerra “Otsing”. Juntamente com outros membros do clube, o Sr. Igor Shedunov iniciou pesquisas e mergulhos no fundo do lago. A uma profundidade de 7 metros, eles descobriram o tanque descansando sob uma camada de três metros de turfa.

Entusiastas do clube, sob a liderança do Sr. Shedunov, decidiram puxar o tanque para fora. Em setembro de 2000 eles se voltaram para o Sr. Aleksander Borovkovthe, gerente do AS Eesti Polevkivi, para alugar da empresa Komatsu D375A-2 bulldozer. A operação de resgate começou às 09:00 e foi concluída às 15:00, com diversas paradas técnicas. O peso do tanque em conjunto com a declividade, fez uma operação resgate que exigiu muito esforço. O D375A-2 da operação com força e estilo. O peso do tanque armado foi de cerca de 30 toneladas, por isso a força de tração necessária para recuperá-lo foi semelhante. A exigência principal para a escavadeira de 68 toneladas era ter peso suficiente para não deslizar enquanto a subindo da colina.

Após o tanque vir à tona, acabou por ser um tanque ‘troféu’, que tinha sido capturado pelo exército alemão no curso da batalha em Sinimäed, seis meses antes de ser afundado no lago. Juntas, 116 munições foram encontradas a bordo. Surpreendentemente, o tanque estava em boas condições, sem ferrugem, e todos os sistemas em condições de funcionamento.

Esta é uma máquina muito rara ainda mais considerando que lutou tanto pela Rússia quanto pela Alemanha.

Um exemplo de foto da época de um tanque inimigo capturado e utilizado pelas tropas alemãs

Fonte:

http://www.vincelewis.net/t34.html

Segunda Guerra – As Fotos e Seus Detalhes Históricos – Parte II

Esta unidade é a 734, que desembarcou na Normandia em 30 de junho de 1944, sob o comando do coronel HF Cameron. E foi colocado para reparar estradas e pontes. Era ligado ao grupo de Engenheiro 110, do I Exército dos EUA.  Foto tirada 25 de agosto de 1944.

 

Argentan em chamas durante a luta para expulsar os alemães. 102 civis foram mortos durante esta batalha.

Idem da Descrição anterior

Igreja St Germain carrega as cicatrizes do conflito que levou os alemães para longe da cidade. Os campanários foram danificadas pelas Artilharoa Divisional e a 5ª Divisão Blindada Americana. Estes pontos altos foram muitas vezes utilizados por observadores de artilharia e, como tal, foram alvo de todos os lados.

Tropas se movem para ocupar a cidade de Argentan.

Um soldado dos EUA sobe uma rua em ruínas com cautela, para não ser alvo de um franco-atirador alemão.

Um soldado EUA filmes os efeitos do bombardeio em Argentan, com St Germain igreja no fundo

GI da 80 (ou Regimento de Infantaria 317 ou a tropa reconhecimento divisional) perto deste Panther eliminado da I. Abteilung de Pz-Rgt 24 (atribuído ao 116. Pz-Div) ou 9. Pz-Div dependendo da fonte

Tropas do Regimento de Infantaria 318, 80º Divisão de Infantaria sob o comando do Coronel Harry D. MacHugh olham a bandeira dos EUA que está pendurada no prédio danificado da prefeitura da cidade Argentan em 20 de agosto de 1944.

Mãos sobre a cabeça, uma coluna de alemães prisioneiros de guerra são deslocados e junto os destroços em chamas de uma meia largata dos EUA M3A1.

GI de quarta divisão blindada EUA observa os restos de uma coluna de veículos da Alemanha. Veículos incluem uma série Packard Six, e caminhões Renault AHN.

GI olha para o cadáver de um soldado alemão atrás de um SdKfz 251 Ausf. D track destruído. O Soldado norte-americano está armado com uma metralhadora “Grease Gun” M3. O veículo SdKfz 251 carrega a inscrição SS  926256 e foi designado para 1.SS-Panzer-Division Leibstandarte Adolf Hitler. Atrás está outro veículo NSU Kettenkrad HK-101 (Sd.Kfz. 2). No fundo é a estação ferroviária. Os veículos alemães foram eliminados pelos 57 milímetros AT armas do IR de 30 120 EUA ID (sargento Rhyne Miller) e 3 polegadas AT armas de elementos do primeiro batalhão, uma companhia do Batalhão 823 TD.

Segundo soldado da direita carrega o lançador de granadas M7 ligado a Garand rifle. E à esquerda uma arma antiaérea abandonada 88 milímetros. No fundo um Dodge WC52

Mais próximo a câmera está uma arma 75 milímetros M8 Howitzer com arma com motor auto-propelido Transporte apelidado de “laxante”. É um equipado com um cortador de sebes Culin. O segundo é um tanque médio M4 (76w). Na parte traseira é outra arma auto-propelida M8 disparada contra posições alemãs das unidades Kampfgruppe Hausser e Schlee Kampfgruppe, formadas a partir de elementos de combate restantes da Panzer Lehr e 275. De nota, o ângulo de depressão da arma Shermans 76mm, indicando que é um alvo atraente sobre o cume da colina em frente a ela, uma posição clássica chamada de “Hull Down”. Três soldados na frente dos tanques parecem ser um pelotão de morteiros, o soldado na parte traseira transporta um tubo de argamassa.

Um soldado da MP (Polícia do Exército) um par de prisioneiros de guerra alemães para limpar os escombros de uma rua em Barenton.

Eugene Seree, um barbeiro e ex-residente de La Haye du Puits discute o seu realojamento depois que a cidade foi reduzida a ruínas durante combates entre o 79 EUA e as tropas alemãs

Prisioneiros alemães carregam seus companheiros mortos para o cemitério Bréhal sob a guarda vigilante de seus guardas americanos.

Um bombeiro lutando em uma casa em chamas. Foi uma batalha desesperada contra o fogo. A cidade foi uma dos objetivos da 101ª Divisão Aerotrasportada

Um soldado americano caído ao lado da estrada entre Isigny d ‘e Saint Hilaire Petitville, perto de Carentan. O senhor Adjutor Lecanu foi um açougueiro local e veterano da Primeira Guerra Mundial e, de acordo com seu neto, foi capaz de relacionar suas próprias experiências para o sacrifício da jovem norte-americano. A cena foi divulgada, apesar de ter sido produzida por um dos fotógrafos do Exército, mas sua divulgação foi firmemente censurada. Unidades que lutaram na área entre os dias 9 e 13 de junho foram a 2ª Divisão Blindada e a 101ª Divisão Airborne. O soldado é coberto por uma “capa de proteção individual”, provavelmente sua própria. Ele não está usando o distintivo nem botas de pára-quedista, assim presumisse que poderia ser um membro da 2ª Divisão Blindada.

 

%d blogueiros gostam disto: