Início > Guerras, História > A Rendição da 148ª Divisão Alemã – Relato de Don Alessadro Cavalli

A Rendição da 148ª Divisão Alemã – Relato de Don Alessadro Cavalli


Artigo enviado pelo Pesquisador Rigoberto Souza Júnior.

A parlamentação para a rendição das tropas alemãs, ocorrida entre Don Alessandro Cavalli e o Comando das Tropas Alemãs, para sua rendição incondicional foi relatada por este zeloso sacerdote, em depoimento datado de  7 de Março de 1951.

            “Paróquia de Noviano de Rossi, Freguesia de Fornovo – Taro – Diocese de Parma – Itália.”

            Eu, abaixo assinado, Don Alessandro Cavalli, filho de Giuseppe, nascido a 6 de fevereiro de 1889, em Berceto, comuna da província de Parma, sacerdote católico, atualmente residente em Noviano di Rossi nas funções de pároco, declaro:

            que no dia 27 de Abril de 1945, às 15  horas, chegaram defronte à Igreja Paroquial de Noviano de Rossi, tropas brasileiras motorizadas(caminhões e carros de combate), e que me apresentei imediatamente o Major Henrique Cordeiro Oest, comandante do II/ 6ºRI, o qual tendo por intérprete o 1º Ten Armando castelo Veiga, que falava muito bem italiano, confiou-me a missão de parlamentário para entrar em contato com as tropas alemãs, a fim, de viva voz, intimá-las à rendição incondicional, de conformidade com as leis internacionais.

            Aceitei a missão, e caminhando a pé cerca de 6 quilômetros para atingir ás 16:30 horas a localidade de Respiccio (Caseificcio Arduini Pasquale di Respiccio), onde encontrei o Comando da Divisão Alemã, e comuniquei então, a ordem de rendição incondicional aos oficiais presentes. Fiquei detido por aproximadamente 3 horas, e por quatro vezes diversos oficiais me interrogaram repetidamente, sobre a força numérica, sobre a potência e a qualidade das armas e sobre a localidade onde estavam as posições das tropas brasileiras, e nestes interrogatórios, eu insistia, e repetia diversas vezes, que eles deveriam se render, porque estavam completamente cercados e já não havia mais possibilidade de salvarem-se do cerco.

            Às 19:30 horas, um oficial superior alemão, bastante idoso(que falava corretamente italiano, tendo inclusive sido embaixador em Roma), insistiu comigo dizendo: “Pastor, faça o favor de dizer ao comandante brasileiro que escreva as condições de rendição, depois volte aqui novamente, que nós o esperaremos neste local.

            Sendo já noite, respondi que não poderia retornar senão na manhã seguinte, por volta das 9 horas, e pedi encarecidamente que não atirassem durante as negociações. Caminhando sempre a pé, cheguei às 20:30 horas à Casa Paroquial de Naviano di Rossi, onde se alojara o Major Oest, juntamente com outros oficiais, para melhor dirigirem as operações bélicas, com quatro aparelhos rádio- transmissores.

            Relatei o combinado com oficial alemão e o Major Oest foi até o Comando Superior Brasileiro, para que a carta que eles pediram fosse escrita, e precisamente às 8 da manhã de 28 de Abril de 1945, recebi do Major Oest a carta que me apressei em levar a Respiccio, onde cheguei por volta das 9:00 horas, e entreguei-a ao mesmo oficial alemão, como haviamos combinado ao anoitecer do dia anterior.

            Cerca de 3 horas de espera, às 11:45 horas, me foi entregue uma carta sigilosa, que levei ao Major Oest, que entregou pessoalmente ao Cel Nelson de Melo. Por isso, declaro que fui eu mesmo o portador do ofício do Cel Nelson de Melo, dirigido ás Forças Nazifascistas que se encontravam em Fornovo di Taro e adjacências, que dito ofício, segundo eu sabia, era um ultimato de rendição incondicional. Esta missão me foi confiada voluntariamente, com o propósito de salvar vidas humanas e de evitar horrores e destruições.

            O ultimato foi entregue ao destinatário ainda na manhã de 28 de Abril, e logo depois das 10 horas da manhã, entreguei uma declaração escrita em alemão, com a assinatura do major Kuhn do quartel general d a148ª Divisão Alemã, dirigida aos oficias brasileiros.

            Finalmente, declaro que ao ver este documento, tive a impressão que em muito breve, seria concluída a questão da rendição alemã à tropa brasileira, e de fato, na noite do dia 28 de Abril de 1945, os nazifascistas capitularam diante do imponente dispositivo de ataque dos brasileiros.

            Em fé do que acima foi declarado

                                   (a) Don Alessandro Cavalli

                                               Pároco de Noviano di Rossi

            Decorridos alguns anos, foi inaugurada ao lado da Igreja de Noviano di Rossi, uma grande lápide de mármore, comemorativa a este notável episódio em que a cruz se uniu à espada para conseguir a mais humana das soluções, onde estava gravada  a inscrição, que pose ser considerada como uma mensagem aos brasileiros do futuro:

 

                                                           HONRA E GLÓRIA

                                            SOBRE ESTAS AMENAS COLINAS,

                                   SOB A SUPERVISÃO DO GRANDE MARECHAL

                                               J.B. MASCARENHAS DE MORAES

                                       E O COMANDO DO VALOROSO CORONEL

                                                          NELSON DE MELO

                                            E COM A ZELOSA PARTICIPAÇÃO

                                     CRISTÃ DO INTRÉPIDO SACERDOTE

                                              DON ALESSANDRO CAVALLI

                                        ARCIPRESTE DE NEVIANO DI ROSSI,

                                   COM O INTUITO DE SALVAR VIDAS HUMANAS

                                      E EVITAR HORRORES E DESTRUIÇÕES,

                                     NOS DIAS 27-28-29-30 DE ABRIL DE 1945

                                   AS TROPAS ARMADAS BRASILEIRAS (F.E.B)

                                               CHEGARAM E IMPUSERAM

                                            A RENDIÇÃO INCONDICIONAL

                                                  ÀS TROPAS ALEMÃS

                                   COM PLENA E TRIUNFANTE VITÓRIA

                                                          ANO DE 1945.

                        Don Alessandro Cavalli foi agraciado pelo Governo Brasileiro com honrosas condecorações nacionais: Ordem do Mérito Militar Brasileiro e Ordem do Cruzeiro do Sul.

Anúncios
  1. Claudio Medeiros
    03/10/2016 às 8:24 PM

    Excelente Blog, para quem gosta de 2a Guerra e Brasil na 2a Guerra foi um achado e tanto. Parabéns!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: