Arquivo

Archive for 27/12/2011

Uma Visão Diferente das Bombas Atômicas!

 Um relatório logo após a Segunda Guerra foi levantado para qualificar e tipificar os impactos destrutivos relacionados as duas bombas atômicas utilizadas contra Japão. O que temos é um acervo fotográfico diferenciado sobre a visão, diga-se de passagem, bem americana de explicar a utilização da Little Boy e da Fat Man. Contudo é um registro histórico importante para entender o nível de destruição dessas infelizes cidades.

Mapa que mostra as áreas atingindas pela bomba - Hiroshima, Honshu. JAPÃO

Área de extensão a ser estudada -Nagasaki, Kyushu, Japão

Vista aérea de Hiroshima antes da eclosão mostrando a alta densidade de área construída.

A explosão da bomba atômica sobre Nagasaki, tomadas de cerca de 10km de distância. A altura do topo da nuvem é de cerca de 40 mil pés.

A explosão da bomba atômica sobre Hiroshima.

Vista panorâmica de Hiroshima após a bomba.

Vista aérea de Hiroshima após a bomba.

Vista panorâmica sobre Nagasaki depois da bomba. Tomadas ao Norte de X, bloqueio sul. As fundações em forma de Y em primeiro plano estão os restos de uma prisão. , Toda essa área foi densamente cobertas de fábricas e habitações.

Vista aérea de Nagasaki depois da bomba.

Vista geral de Nagasaki tiradas de cerca de quatro quilômetros a sudeste de X. As chaminés no fundo estão localizadas na parte da fábrica de Aço Mitsubishi, onde tinha uma produção de armas. As colinas em primeiro plano, eram em grande parte do setor empresarial e residencial e sofreram todos os efeitos da explosão da bomba. Percebe-se a construção residencial típica japonesa, composta de casas de quadro leve, com telhados de telha, com as encostas sendo cultivadas e habitadas quase até o topo.

habitações precárias com estruturas de madeira.

Outro ponto de habitações tipicamente japonesas.

Vista aérea de Nagasaki. X é apenas a nordeste do estádio que estaria visível na parte superior direita da fotografia. Os principais alvos foram os Mltsubishi-Urakami (Construção de Torpedos) no canto superior da imagem, e do Aços Mitsubishi : que se espalha ao longo da margem leste do rio Uratami, na parte central do da imagem. Note como o vale industrial se estendia nas colinas que iriam protege-los juntamente com a área residencial da cidade (lado direito da imagem) de todos os efeitos da explosão.

Visão panorâmica geral de Hiroshima após a bomba. Esta imagem mostra a devastação a partir de X para um ponto cerca de 0,4 quilômetros ao sul de X.

Visão panorâmica geral da Faculdade de Medicina e Hospital de Nagasaki, olhando para o sudeste. Em primeiro plano, no sopé da colina em que a Escola de Medicina está localizada, a dupla pista da malha ferroviária para os edifícios do hospital pode ser observado. Praticamente não houve danos nos trilhos em si, mas os fios dos vagões foram derrubados e as pistas cobertas de escombros. Toda a área mostrada, neste quadro, era coberta com edifícios industriais e residências. No fundo, o escombros da Aços Mitsubishi podem ser vistos. Note que a edifícios de concreto reforçado ainda estão de pé em meio a destroços de edifícios com estrutura de aço. Nos edifícios e escola no sopé das colinas no fundo, as portas e janelas foram danificados pela explosão.

Vista da Área Militar de Hiroshima. Esta visão permite observar a destruição quase total do armazenamento de munições e edifícios administrativos localizados na seção nordeste da área militar.

Vista aérea de Hiroshima após a bomba.

Vista aérea olhando diretamente para baixo em X, em Hiroshima, mostrando a área alvo totalmente devastada, exceto os edifícios de concreto. Tetos e pisos intermediários desabaram sobre cinco destes edifícios deixando as paredes exteriores parcialmente em pé, As manchas escuras nos telhados de outros prédios são depressões formadas pela distorção da estrutura do telhado.

Vista aérea de Hiroshima, olhando para baixo em X que está no centro da imagem.

Olhando para o leste a partir de X. O tronco de uma pequena árvore de pé em primeiro plano indica que a força da explosão foi mais baixa nesta área.

O sul da área devastada de X em Hiroshima. O colapso Hiroshima edifícios da Companhia de Gás pode ser visto à esquerda da imagem. O edifício da Companhia Elétrica a 0,4 quilômetros de X, pode ser visto no fundo.

Área comercial a 700 pés oeste de X em Hiroshima. A torre de aço em primeiro plano entrou em colapso na direção da explosão. Os monumentos no cemitério não foram derrubados porque a pressão explosão foi menor nesta área.

O sul da área devastada de X em Hiroshima. O colapso Hiroshima edifícios da Companhia de Gás pode ser visto à esquerda da imagem. O edifício da Companhia Elétrica a 0,4 quilômetros de X, pode ser visto no fundo.

Concreto reforçado a noroeste de X. A laje do telhado de concreto foi apoiada por vigas de concreto, mesmo com as vigas do interior danificadas, suportou o teto para ela se mantivesse, como mostrado. Todo o parapeito da parede foi demolido.

Em Hiroshima, mostra flash de queimaduras no lado voltado para a explosão. Os dois pequenos edifícios em segundo plano foram construídas após a explosão.

Em Hiroshima, mostra flash de queimaduras no lado voltado para a explosão. Os dois pequenos edifícios em segundo plano foram construídas após a explosão.

O soldado está apontando na direção X. As superfícies da pedra à direita estão ásperas pela explosão, enquanto as superfícies escuras à esquerda continuam uma superfície polida.

Este ângulo da base do monumento mostrado na foto anterior. Figura mostra a superfície áspera da pedra em um canto exposto à explosão.

 

Eles Filmaram e Fotografaram a Segunda Guerra – Parte II

Não temos como negar que a Segunda Guerra foi maior e o primeiro grande conflito a ser coberto e registrado totalmente. Isso possibilita-nos, hoje, ver as imagens desses registros e ter a noção completa dos acontecimentos. Todos esses registros foram realizados por civis e militares que chegaram a frente de combate com suas câmaras fotográficas e filmadoras para registrar os momentos das batalhas, a vida dos soldados, as campanhas, as vitórias e até as derrotas. Uma material bastante generoso que possibilita a criação desse BLOG e outras de mídias que utilizam-se desses registros para lembrar a humanidade uma história que não poderá se repetir nunca mais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

%d blogueiros gostam disto: